Regra geral, associa-se a ilha de São Miguel às lagoas. Contudo, elas estão presentes em outras ilhas e são sempre espaços de grande beleza natural. Conheça, a seguir, algumas das mais belas lagoas dos Açores.

Lagoa do Caldeirão do Corvo, Ilha do Corvo

Localiza-se dentro do Caldeirão do Corvo, a cratera do vulcão que deu origem a mais pequena ilha dos Açores. A lagoa encontra-se a 300 metros de profundidade e vai-se alterando, dependendo da pluviosidade.

Lagoa do Caldeirão do Corvo, Ilha do Corvo
Lagoa do Caldeirão do Corvo, Ilha do Corvo créditos: Siaram

Caldeira Negra e Caldeira Comprida, Ilha das Flores

Estas estruturas vulcânicas localizam-se no planalto central da ilha das Flores. Destacam-se na paisagem por estarem, praticamente, uma ao lado da outra. Na Caldeira Negra, a profundidade da massa de água atinge 108 metros, a mais profunda dos Açores.

Caldeira Negra e Caldeira Comprida, Ilha das Flores
Caldeira Negra e Caldeira Comprida, Ilha das Flores créditos: Azores Geopark

Caldeira Rasa e Caldeira Funda, Ilha das Flores

Estão localizadas no setor sul do planalto central da ilha das Flores. Apesar da sua proximidade, encontram-se a cotas diferentes: de 360 metros no caso da lagoa da Caldeira Funda e de 530 metros no caso da lagoa da Caldeira Rasa.

Ilha das Flores
Caldeira Rasa e Caldeira Funda, Ilha das Flores créditos: andarilho.pt

Poço da Ribeira do Ferreiro (Poço da Alagoinha), Ilha das Flores

O Poço da Ribeira do Ferreiro, também conhecido como Poço da Alagoinha ou Lagoa das Patas, está situado na freguesia da Fajã Grande. É uma das paisagens mais emblemáticas da Ilha das Flores e, até, do próprio arquipélago dos Açores. As quedas de água a escorrer pela encosta, num cenário pintado de verde, e os reflexos na lagoa fazem deste um lugar fora de série.

Poço da Ribeira do Ferreiro
Poço da Ribeira do Ferreiro, Ilha das Flores créditos: Siaram

Lagoa do Capitão, Ilha do Pico

É a maior lagoa da ilha do Pico, situa-se a uma cota média de altitude que ronda os 826 metros e tem na sua imediação uma abundante vegetação endémica da macaronésia, muito rica em várias espécies com destaque para a erica azorica, o cedro, o loureiro e o vinhático.

Lagoa do Capitão, Ilha do Pico
Lagoa do Capitão, Ilha do Pico créditos: CM São Roque do Pico

Lagoa do Paul, Ilha do Pico

Muitas vezes envolta em nevoeiro, devido à sua altitude (cerca de 800 metros), esta lagoa fica próxima da elevação do Topo e da Caldeira de Santa Bárbara, na área de abrangência da Reserva Florestal Natural Parcial do Caveiro. Junto com as lagoas do Caiado, do Rosado e do Ilhéu, forma um conjunto de belas lagoas. É um ótimo lugar para observar aves.

Lagoa do Paul, Ilha do Pico
Lagoa do Paul, Ilha do Pico créditos: Wikipedia / José Luís Ávila Silveira / Pedro Noronha e Costa

Lagoa Funda, Ilha Terceira

Localiza-se dentro da caldeira vulcânica da Serra de Santa Bárbara a cerca de 900 metros de altitude. Encontra-se rodeada por uma variada vegetação endémica da macaronésia.

Lagoa Funda, Ilha Terceira
Lagoa Funda, Ilha Terceira créditos: Siaram

Lagoa da Fajã de Santo Cristo, Ilha de São Jorge

Esta laguna tem várias singularidades que a tornam uma paisagem única nos Açores. Juntamente com a Lagoa da Fajã dos Cubres, são as únicas lagoas junto ao mar, de água salobra e sujeitas às marés. Esta lagoa fica sob uma enorme falésia e foi formada pelo desmoronamento das montanhas da costa norte da ilha, que deu origem às famosas fajãs, neste caso, detríticas. É conhecida também por ser o habitat de amêijoas de maiores dimensões.

Lagoa da Fajã de Santo Cristo, Ilha de São Jorge
Lagoa da Fajã de Santo Cristo, Ilha de São Jorge créditos: Alice Barcellos

Lagoa da Fajã dos Cubres, Ilha de São Jorge

Esta laguna também se formou devido a desmoronamentos das altas encostas da costa norte da ilha. Aí se pescam mujas, nome dado pelos locais às jovens tainhas que se ocultam entre a abundante vegetação que cresce nas suas águas. Também é muito abundante em pequenos camarões que localmente são muito usados na pesca da garoupa.

Lagoa da Fajã dos Cubres, Ilha de São Jorge
Lagoa da Fajã dos Cubres, Ilha de São Jorge créditos: Siaram

Lagoa do Congro, Ilha de São Miguel

Situa-se numa cratera vulcânica no centro da ilha. Devido à sua génese, a Lagoa do Congro apresenta características que a distinguem da maioria das lagoas da ilha. A sua principal característica é a de estar encaixada na região circundante, relativamente plana, sob a forma de um grande buraco aberto na zona envolvente, ao contrário de ocupar o topo de um cone vulcânico bem definido.

Lagoa do Congro, Ilha de São Miguel
Lagoa do Congro, Ilha de São Miguel créditos: Siaram

Lagoa do Fogo, Ilha de São Miguel

Esta lagoa é a mais alta da Ilha de São Miguel, já que se encontra no cimo de uma montanha cujo ponto mais alto se eleva a 947 metros. Localiza-se no topo do grande vulcão do Fogo, também conhecido como vulcão de Água de Pau.

Lagoa do Fogo, Ilha de São Miguel
Lagoa do Fogo, Ilha de São Miguel créditos: Unsplash

Lagoa das Sete Cidades, Ilha de São Miguel

A lagoa fica na Caldeira das Sete Cidades é o maior reservatório natural de água doce de superfície dos Açores, ocupando uma área que chega aos 4,45 quilómetros quadrados, com uma profundidade de 33 metros. Caracteriza-se pela dupla coloração das suas águas, sendo dividida por um canal pouco profundo, atravessado por uma ponte baixa que separa de um lado um espelho de águas de tom verde e, do outro, um espelho de tom azul. É uma das imagens de marca da ilha de São Miguel e do arquipélago dos Açores.

Lagoa das Sete Cidades, Ilha de São Miguel
Lagoa das Sete Cidades, Ilha de São Miguel créditos: Unsplash

Lagoa das Furnas, Ilha de São Miguel

Encontra-se rodeada por vegetação macaronésica, e conta com manifestações vulcânicas do tipo fumarola, sulfatara e caldeiras de águas ferventes. Nas margens desta lagoa e devido às águas ferventes vulcânicas fazem-se os tradicionais cozidos das Furnas.

Lagoa das Furnas, Ilha de São Miguel
Lagoa das Furnas, Ilha de São Miguel créditos: Siaram

Já visitou alguma destas lagoas? De qual gostou mais? Partilhe connosco no espaço de comentários.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.