A ilha é deslumbrante. Pouco povoada, com imensos espaços verdes e a orografia é muito irregular. Zonas planas dão lugar a elevações ingremes que escondem segredos, lagoas, cascatas e pequenos luagres paradisiacos.

Ilha das Flores
Cascata do Poço da Ribeira do Ferreiro créditos: andarilho.pt

José Eduardo, director do Parque Natural das Flores, diz que a principal marca da ilha é à água. “É a ilha da água com lagoas, cascatas e ribeiras. A ilha tem também um relevo muito acidentado. Estas características propiciam uma paisagem única.”

Ilha das Flores
Rochedo dos Bordões créditos: andarilho.pt

As Flores têm mais lugares surpreendentes como o inesperado rochedo dos Bordões, em que o basalto solidificou e deixou enormes estrias verticais. Outra marca na paisagem natural são as lagoas.

Ilha das Flores
Lagoa Funda créditos: andarilho.pt

Algumas estão muito próximas, na zona central, e temos miradouros que nos revelam uma beleza que não se esquece.

Ilha das Flores
Vista das lagoas a partir do Morro Alto créditos: andarilho.pt

Se subirmos o Morro Alto, de carro ou a pé, temos uma vista deslumbrante da Lagoa Funda e da Lagoa Rasa que pode entrar em qualquer concurso internacional do melhor postal ilustrado de natureza.

Ilha das Flores
Cascata do Poço da Ribeira do Ferreiro créditos: andarilho.pt

Há ainda um outro local que também é forte candidato. Fica próximo da Aldeia da Cuada. O Poço do Ferreiro, uma série de cascatas que despenham a água para uma lagoa serena e com água transparente. As cascatas têm dezenas de metros de altura e a montanha está vestida de verde exuberante.

Ilha das Flores
Fajãzinha créditos: andarilho.pt

Não muito longe, na Fajã, está outra cascata. É o Poço do Bacalhau. Estes são alguns exemplos de uma ilha onde ainda há muito para explorar e não se regista a intervenção humana.

Ilha das Flores
As Flores têm poucos habitantes créditos: andarilho.pt

Como explica José Eduardo, o povoamento foi junto à costa, embora em muitos lugares seja de arribas altas. Há ainda sítios para explorar e estão relativamente virgens.

A biodiversidade é muito grande. Áreas enormes sem a intervenção humana e a abundância de água ajudaram a criar uma grande diversidade de espécies e algumas só encontramos na ilha das Flores. “Das 76 espécies endémicas dos Açores, 56 estão na ilha das Flores.”

Ilha das Flores
Vistas amplas e com poucos vestígios da presença humana créditos: andarilho.pt

Para visitar a ilha há vários percursos pedestres e o ponto de partida recomendado é o Centro de Interpretação Ambiental do Boqueirão.

Fábrica da Baleia do Boqueirão
créditos: andarilho.pt

Tem informação detalhada sobre a biodiversidade da ilha, as paisagens, monumentos naturais e ilhéus. Torna-se mais fácil para os visitantes e permite-lhes fazer uma interpretação do Parque Natural.

Ilha das Flores
Lagoa rasa créditos: andarilho.pt

José Eduardo recomenda a visita às Flores nos meses de Verão. “Eu sou suspeito porque para mim a ilha tem uma beleza diferente todos os dias. No entanto, Junho, Julho e Agosto são os meses ideais para passeios nas Flores. O Inverno tem o seu encanto por causa das cascatas que têm maior exuberância.

Ilha das Flores
créditos: andarilho.pt

Um outro encanto no Inverno é olharmos para a ilha do Corvo, mesmo ali ao lado e o vento e nevoeiro transformam-na num rochedo de contornos indefinidos. Uma imagem que nos faz recordar que estamos no ponto mais Ocidental da Europa.

O paraíso das Flores ou a ilha dos Amores faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.