Se muitos lugares abandonados do mundo já atraem turistas devido à aura misteriosa que os rodeia, imagine o fascínio que não despertam aqueles que estão abandonados e debaixo de água.

Para quem gosta de explorar este tipo de lugares ou gosta de mistério, o Business Insider reuniu 10 histórias de lugares que se encontram debaixo de água, que inclui a aldeia de Vilarinho das Furnas, em Portugal. Descubra a seguir.

1- Vilarinho das Furnas, Gerês, Portugal

Não é fácil batizar historicamente a origem da pequena aldeia de Vilarinho das Furnas - que ficava encravada entre as serras do Gerês e da Amarela, no concelho de Terras de Bouro -, devido à falta de documentação.

Acredita-se que a aldeia teve origem há cerca de 2000 anos. A sua história termina no século passado, após ter sido vendida para ali ser possível construir uma barragem. Na época, a aldeia era habitada por 300 pessoas que, entre 1969 e 1970, foram recolocadas nos concelhos vizinhos. A aldeia ficou submersa em 1971.

A barragem de Vilarinho das Furnas foi inaugurada um ano depois, no dia 14 de maio. Apesar de ter sido engolida pelas águas do rio Homem, a aldeia não desapareceu por completo.

Sempre que as águas da barragem descem, consegue-se ver as ruínas da aldeia. Fica-se a imaginar como era a vida dos aldeões de Vilarinho das Furnas.

Junto à Barragem, encontra-se o Centro Interpretativo de Vilarinho das Furnas onde pode obter mais informações para reconstruir o passado da aldeia.

2 - Shi Cheng, lago Quiadao, China

A antiga cidade de Shi Cheng é apelidada de Atlântida chinesa por ter sido encontrada submersa em 2002.

Ao contrário do que o nome "Atlântida chinesa" sugere, a cidade não foi afundada por forças da natureza ou por alguma intervenção divina.

Shi Cheng, que significa Cidade do Leão, foi intencionalmente sacrificada para dar lugar a uma barragem.

Fundada há cerca de 1300 anos e inundada em 1959, ficou esquecida durante quatro décadas sob as águas do lago artificial Qiandao.

Shi Cheng chegou a ser o centro político e económico da província de Zhejiang. Hoje é um belo museu submerso e uma das principais atrações do lago Qiandao.

3 - Nymphas Show Bar, Eilat, Israel

É provável que Gil Koplovitz, biólogo marinho, não estivesse à espera do que iria descobrir durante um dos seus mergulhos na costa israelita: um bar subaquático de striptease. Até à data não se sabe a razão pela qual o bar foi abandonado.

4- Prisão de Rummu, Estónia

A primeira cela da Prisão Rummu foi construída em 1949, de acordo com o Atlas Obscura.

Segundo o Daily Mail, os prisioneiros de Rummu eram forçados a trabalhar 12 horas por dia numa pedreira de calcário.

A prisão ficou abandono após a queda da União Soviética e, pouco depois, começou a ser inundada pelas águas subterrâneas.

O edifício de Rummu encontra-se parcialmente visível no lago. Os escombros, incluindo arame farpado e maquinaria, fazem com que explorar o lugar seja perigoso.

5- Thonis-Heracleion, Egito

Imagine mergulhar e deparar-se com um cidade egípcia perdida há 1200 anos. Seria incrível, certo? E como se não bastasse já a sensação mágica de descobrir uma cidade perdida no fundo do mar, viria que muitos dos artefactos ainda estavam bem preservados. Impossível? Nem por isso.

A verdade é que uma equipa de arqueólogos franceses descobriu no ano 2000, a cidade egípcia Thonis-Heraiclon, perdida há mais de mil anos. Na cidade submersa, Heracleion, a equipa encontrou 64 navios, 700 âncoras, estátuas e moedas de ouro.

Heracleion ficava a 32 quilómetros da Alexandria e era uma poderosa cidade portuária. De acordo com o Bussiness Insider, a cidade afundou-se no fundo do Mediterrâneo devido a um terramoto.

6- Port Royal, Jamaica

Há mais de 300 anos Port Royal era famosa pelo seu rum, piratas e prostitutas. Na época, Port Royal era conhecida como a "cidade mais perversa da Terra".

Em 1692, um terramoto destruiu a maior parte da cidade. O que permanece da cidade debaixo de água foi designado Património Nacional.

7- Torre de Curon, Lago Resia, Itália

Em 1950, uma empresa de energia fundiu dois lagos naturais para criar um grande, forçando a vila dos 150 habitantes de Curon a mudarem-se, de acordo com a Italy Magazine.  A Torre de Curon é tudo o que resta acima da água. Os sinos foram removidos em 1950, mas algumas pessoas dizem continuar a ouvi-los.

8- Mediano, Espanha

O único remanescente do pequeno povoado de Mediano é o topo de uma torre de igreja do século XVI que sai da água. Em 1974, o vale foi inundado para criar um reservatório.

9- Aldeias perdidas de Ontário, Canadá

Para construir o St. Lawrence Seaway e ligar os Grandes Lagos e o rio Saint Lawrence ao Oceano Atlântico, 6.500 pessoas de nove aldeias pequenas tiveram que ser realocadas.

As aldeias foram inundadas a 1 de julho de 1958 e deram lugar ao lago artificial de St. Lawrence. Agora enterradas debaixo de água são conhecidas como "As Aldeias Perdidas".

10 - Pavlopetri, Grécia

De acordo com a Universidade de Nottingham, Pavlopetri é a cidade submersa mais antiga do mundo.

Em Pavlopetri, arqueólogos descobriram artefatos de cerâmica de há 5.000 anos. As descobertas indicam que a cidade micênica já foi um assentamento marítimo e um centro comercial.