Sabes aqueles momentos em que ainda não acabaste uma viagem e já estás a pensar na próxima? Foi mesmo isso que nos aconteceu na Costa Vicentina! Com 110km entre a Ribeira da Junqueira em São Torpes e a Praia do Burgau já no Algarve, esta é a maior extensão de costa Portuguesa sujeita a proteção. As praias vão-se sucedendo, seja com areais mais extensos ou mais pequenos, sempre rodeados de grandiosas arribas, num passeio onde o mar é a banda sonora.

Enquanto pedalávamos ao longo do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina sentimos uma vontade enorme de voltar àquele sítio num outro registo: a pé.

Apesar do gosto que nos está a dar fazer esta volta a Portugal em bicicleta, na nossa passagem pela Costa Vicentina sentimo-nos um pouco limitados. Queríamos percorrer as falésias, descer a cada praia, observar cada cabo e trilhar cada um dos imensos percursos pedonais que vão serpenteado ao longo da linha costeira. Mas, com duas bicicletas carregadas, não seria fácil. Sabemos que não essa não é a viagem a que nos propusemos desta vez e temos noção dos nossos limites. Assim, cresceu a vontade de aqui voltar e explorar ao máximo esta que, para nós, se revelou uma das zonas mais bonitas do nosso país!

Vista para a ponta de Sagres na praia da Mareta
Vista para a ponta de Sagres na praia da Mareta créditos: Mais pra Lá

Ainda assim, tivemos a oportunidade de ver muito da Costa Vicentina. Começámos este trajeto em Sagres, uma vez que vínhamos da costa sul algarvia, passámos por Vila do Bispo, Aljezur e Odeceixe ainda na Região do Algarve e, já em terras alentejanas, subimos desde a Zambujeira do Mar a Vila Nova de Milfontes e Porto Covo até chegarmos a Sines. Entre cada uma destas localidades fizemos várias paragens, fosse em praias de paisagens idílicas emolduradas por falésias impressionantes, ou em planícies que se perdem de vista.

Moinho de Odeceixe
Moinho de Odeceixe créditos: Mais pra Lá

Aqui não há resorts junto ao mar nem grandes aglomerados de turistas à procura do melhor lugar para estender a toalha. Em vez disso, veem-se incontáveis autocaravanas e vans que vão ficando aqui e ali, assim como vários visitantes que vão procurando a sua praia favorita (tarefa que não é fácil pois há tantas e tão bonitas!) ao mesmo tempo que experienciam mais daquilo que o Parque do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina tem para oferecer.

Foi também na Costa Vicentina que vimos o maior número de viajantes em bicicleta que iam pedalando maioritariamente no sentido contrário ao nosso (Sagres é, por norma, o último destino para quem percorre as maravilhas da Costa Vicentina). Eram ainda alguns os caminhantes que víamos a percorrer os trilhos desenhados no topo das falésias e estes foram, claro, os que nos aguçaram mais a vontade de ali voltar.

Trilhos da Rota Vicentina
Trilhos da Rota Vicentina créditos: Mais pra Lá

Ao longo desta costa é possível partir à descoberta da Rota Vicentina. Uma rede de percursos pedestres com cerca de 750 quilómetros ao longo de uma das mais belas e bem preservadas zonas costeiras da Europa, constituída por dois percursos principais e vinte e quatro circulares. Também existem percursos adaptados para ciclistas de onde fomos tirando ideias para realizarmos o nosso próprio trajeto. Mas parece-nos que vamos ter mesmo de voltar para fazer uma daquelas GR (Grandes Rotas) no estilo ‘mochila às costas’ que tanto gostamos!

DICAS:

• Antes de visitares a Costa Vicentina, passa pelo website rotavicentina.com onde encontrarás muita informação acerca de trilhos e outras atividades que podes fazer nesta região.

• Caso não faças toda esta costa a pé, não deixes, pelo menos, de fazer um dos seus percursos circulares. São 24 percursos curtos com início e fim no mesmo local, sem complicações e com a duração de apenas meio dia ou até menos.

• Não percas Porto Covo! É uma visita que vale muito a pena pelas belas praias escarpadas e escondidas que se encontram ao longo da sua costa. Aproveita a calma e a tranquilidade desta vila.

• Se procuras um pouco de aventura e muita natureza mas estás indeciso entre percorrer a Costa Vicentina de bicicleta ou a pé, na nossa opinião e pela nossa experiência, os percursos pedestres pareceram-nos mais apelativos (apesar de existirem também alguns percursos para BTT e cicloturismo). Mas nada como entrares no website rotavicentina.com e tirares algumas conclusões por ti próprio.

• No caso de estares em Odeceixe e quereres ir dar um mergulho à praia, aproveita e vai a pé. Vais adorar o percurso desde a vila até à foz do rio que serpenteia por um vale incrível num curto percurso de cerca de 3km.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.