Estendendo-se ao longo de serras e vales, das planícies até ao mar, passando por florestas encantadas, aldeias de xisto e antigos mosteiros, moinhos de água, castelos e palácios, rios e barragens, comunidades rurais, abençoada com águas termais e carregada de lendas e histórias, a Região de Coimbra é tão diversificada no seu território tanto quanto na sua gastronomia.

Falamos da chanfana, da lampantana, do cabrito, do leitão, da lampreia, do pescado da Arte Xávega, da sardinha da Figueira da Foz, do arroz do Baixo Mondego, dos queijos do Rabaçal e da Serra da Estrela, da doçaria conventual, do mel, dos enchidos, do vinho e da cerveja artesanal. Sabores e receituários únicos, característicos desta região.

Costa de Lavos, Figueira da Foz
@Dronestagram by *meganeura*

As diferenças paisagísticas, climatéricas e culturais desta área-geográfica, composta por 19 concelhos, traduzem-se numa enorme riqueza de produtos autóctones, bem como em formas de conservação e de transformação dos mesmos que, ao longo dos anos, foram sendo preservadas de geração em geração. Deste modo, tradições, usos e costumes e segredos bem guardados chegaram até aos dias de hoje, para deleite de todos os que visitam esta zona do país.

É pois com base nesse legado ancestral que a Região de Coimbra se candidata a Região Europeia de Gastronomia, procurando atrair pelo estômago mais gente ao território, tendo em vista um turismo sustentável, potenciando e integrando recursos e estruturas já existentes.

Piódão
Piodão

Sob o lema “A Million Food Stories” a candidatura da Região de Coimbra reflete a vontade de valorizar a identidade, diversidade e autenticidade do território e comunidades locais, capacitando e qualificando a oferta turística e gastronómica com vista a gerar notoriedade, atraindo pessoas e investimento.

O título de “Região Europeia de Gastronomia” é atribuído anualmente, pelo Instituto Internacional de Gastronomia, Cultura, Artes e Turismo (IGCAT) e reconhece a inovação e a interligação da gastronomia com a cultura, o turismo, as artes e a economia. Visa também estimular o desenvolvimento de parcerias entre o sector público e privado e as organizações de educação/investigação,através da colaboração com outras regiões já distinguidas, nas atividades anuais conjuntas com outros parceiros da rede.

Chanfana do Delícias do Piódão
Chanfana do restaurante Delícias do Piódão créditos: Food and Travel Portugal

Com esta distinção o IGCAT pretende promover uma melhor qualidade de vida nas regiões galardoadas; destacar culturas alimentares diferenciadas; educar para melhorar a saúde e sustentabilidade; incrementar os padrões de turismo e estimular a inovação gastronómica.

Por estes dias um comité de especialistas do IGCAT está de visita à Região 
para avaliar a candidatura  apresentada por  um  consórcio constituído  por  representantes de  instituições académicas e instituições/entidades públicas  e privadas. No final da visita o júri composto por 4 especialistas do IGCAT (provenientes do Reino Unido, Roménia, Finlândia e Holanda) irá produzir um relatório onde irá constar se a região está apta a receber o título.

Doçaria Regional
Doçaria Regional créditos: dreamstime

O resultado só será conhecido lá para meados de Outubro, mas até lá, com galardão ou sem ele, a nossa sugestão é para que parta à descoberta da cultura e da identidade desta Região que, de entre o tanto que tem para oferecer, conta também com uma gastronomia ímpar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.