O Wolfgat abriu no ano passado numa casa de praia construída há 130 anos na aldeia de Paternoster, a 145 quilómetros da Cidade do Cabo. O menu de degustação de sete pratos custa o equivalente a 53 euros.

Kobus van der Merwe, o chef do Wolfgat, aprendeu a cozinhar quando tinha 30 anos. O chef procura diariamente ingredientes à beira do Atlântico e também fabrica o próprio pão e manteiga.

O restaurante só pode receber 20 pessoas, que costumam ficar cerca de duas horas e meia no local, para uma experiência gastronómica única.

A localização modesta e a crença de Van der Merwe de que deve ser sustentável e voltar ao básico convenceram os juízes do prémio.

Com pratos com algas ou mexilhões, o Wolfgat também ganhou o prémio de melhor restaurante "Fora do Mapa" (Off-Map Destination).

Van der Merwe, que já foi blogger, afirma que, com exceção do uso de algumas espécies locais, a filosofia é "interferir o mínimo possível nos produtos e deixá-los puros, crus e sem tratar".

"É uma abordagem muito minimalista, não faz sentido colher ervas extraordinárias para depois transformá-las num molho que não tem nada a ver", disse.

O prémio ao restaurante que não necessita de reservas (No Reservations Required) foi dado ao Mocotó, de São Paulo, Brasil, e o prémio de melhor prato da casa (House Special of the Year) foi para o italiano Lido 84, em Gardone Riviera.

Veja aqui a lista completa de vencedores dos World Restaurant.

Fonte: AFP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.