Cognição refere-se a um conjunto de habilidades cerebrais e mentais necessárias para a obtenção de conhecimento sobre o mundo. Tais habilidades envolvem pensamento, raciocínio, abstração, linguagem, memória, atenção, criatividade, capacidade de resolução de problemas, entre outras funções. Desde a tenra infância até ao final da vida. O desenvolvimento está diretamente relacionado à aprendizagem, ou seja, um não ocorre sem o outro. O desenvolvimento cognitivo é, então, um dos processos através do qual os indivíduos adquirem conhecimento sobre o mundo ao longo da vida.

As viagens e as experiências fora da rotina, presenciadas nos primeiros anos da vida, vão alavancar fortemente o desenvolvimento da criança. A sua personalidade vai desenvolvendo ao longo da vida, como resultado da interação entre fatores genéticos e ambientais. Logo, a personalidade dos nossos filhos é o resultado da soma da herança genética que lhes deixamos, e as experiências que lhes proporcionamos.

Como é que em viagem se torna fácil ensinar valores às crianças?

A forma como as crianças aprendem valores, simplificadamente, é a observar o que nós fazemos e a perceber o que é que consideramos importante na nossa vida. Quer sejam ou não ensinados de forma consicente, os nossos filhos irão crescer com a visão clara de quais são os princípios morais ou éticos importantes para nós e vão desenvolver, também, os seus próprios valores.

Os pais não são a única fonte de valores de uma criança e é saudável que esta desenvolva a sua visão sobre o mundo que a rodeia, por mais que queiramos influenciar os nossos filhos.

Mas, para nossa felicidade, estudos dizem que quanto mais forte a nossa relação com as nossas crianças, mais o seu mundo é filtrado pelas nossas opiniões. E não há melhor atividade para aproximar famílias e reforçar laços do que viajar todos juntos, ultrapassar aventuras, dificuldades, divertimento, choque cultural, etc., apoiados uns nos outros.

Em viagem, temos muito tempo para passar os nossos valores às crianças e a predisposição que elas têm para os receber é muito maior do que no corre-corre das semanas de trabalho e escola. E não precisamos de fazer um discurso elaboradíssimo sobre valores.

Pais que dão prioridade ao tempo familiar, vêm a sua tarefa de transmitir valores mais facilitada.

Valores que pode tentar ensinar na sua próxima viagem em família:

1. Tolerância

Ser tolerante significa que assim como nós pensamos de determinada maneira, todas as pessoas têm o direito de ser e pensar o que desejam, desde que não seja algo nocivo para os outros. Ninguém nasce preconceituoso, ninguém nasce a odiar um grupo, raça ou posição diferente. As crianças aprendem a ser intolerantes vendo e repetindo o comportamento, as posições e atitudes dos seus pais. Ao levar as crianças para o meio de outras culturas e respeitando a sua forma de viver, sem críticas ou comentários depreciativos, estamos a ensinar tolerância com zero esforço.

2. Empatia

Uma criança que é acarinhada, atendida e ouvida é mais provável responder empaticamente e com compaixão aos outros, logo de tenra idade. De férias, temos todo o tempo do mundo para ouvir, dar colo e acarinhar o máximo possível.

3. Honestidade

Se para entrar num parque de diversões é preciso ter no mínimo 4 anos, nos perguntam em frente da criança (de 3 anos) a sua idade e nós respondemos: tem 4 anos. Estamos a ensinar que mentir, de vez em quando, não tem problema. É preciso manter a verdade, se queremos que também sejam honestos connosco.

4. Responsabilidade

Em pré-viagem e durante a viagem, muitas decisões são tomadas: destino, atividades, meios de transporte, etc. Partilhar algumas decisões com as crianças vai dar-lhes o sentido de responsabilidade e autonomia. Elas também podem organizar e arrumar os seus brinquedos, para levar na viagem.

5. Humildade

Em qualquer parte do mundo e em qualquer situação, a humildade é um valor que facilmente podemos passar. Agradecer com uma palavra e um sorriso a um funcionário do hotel pelo profissionalismo, ao motorista do autocarro, à senhora que nos leva uma toalha são alguns exemplos .

6. Honra

Comprometemos com alguém, mas agora não queríamos nada sair da praia, mas temos de ir. Devemos honrar os compromissos. Se as crianças perceberem que que também para nós está a ser um pouco difícil mas que é importante aparecer no lugar combinado, então irão colaborar mais facilmente.

Sigam as nossas aventuras mais recentes no Instagram

Artigo originalmente publicado no blogue Onde andam os Duarte?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.