O seu reduzido tamanho (é a segunda ilha mais pequena do arquipélago dos Açores, logo a seguir ao Corvo) não é de todo proporcional ao número de locais fascinantes que tem para mostrar a quem a visita. De imponentes cavidades vulcânicas a surpreendentes zonas balneares e excelentes spots de mergulho: descubra neste artigo quinze locais de visita obrigatória numa viagem pela Ilha Graciosa.

Descobrir a misteriosa Furna do Enxofre

Também conhecida como a “catedral” das cavidades vulcânicas dos Açores, a Furna do Enxofre é um dos locais de inclusão obrigatória num roteiro pela Ilha Graciosa. Após recolher informação útil no Centro de Visitantes, a sua porta de entrada, siga em direção à furna, caminhando entre a verdejante vegetação da Caldeira.

Furna do Enxofre
Furna do Enxofre créditos: Joland

No seu interior encontrará uma misteriosa lagoa de água fria com 8 metros de profundidade e uma fumarola de lama, testemunha da atividade registada vulcânica no coração da ilha. No interior sente-se um cheiro a enxofre, cuja intensidade varia de acordo com a temperatura do ar e a atividade vulcânica. A melhor forma de visitar é através de uma visita guiada que deverá ser marcada com uma antecedência mínima de 48 horas.

Admirar a vista na Furna da Maria Encantada

O acesso à Furna da Maria Encantada (também conhecida por Furna do Castelo) faz-se através de um curto trilho cujo início é assinalado por uma pequena placa que se encontra na estrada que rodeia a Caldeira. Aventure-se pela gruta em forma de tubo de lava. No final será recompensado com uma vista magnífica para a verdejante vegetação do interior da Caldeira.

Furna da Maria Encantada
Furna da Maria Encantada créditos: Joland

Se estiver disposto a caminhar mais um pouco, siga a placa onde se lê “Torre”, localizada à entrada da Furna. O caminho, marcado por uma subida sinuosa, levá-lo-á até uma torre de madeira em cujo topo poderá admirar uma vista de 360.º sobre a ilha.

Explorar a misteriosa Furna do Abel

Continuando com o tema das furnas, o próximo destino a incluir num roteiro pela Ilha Graciosa é a Furna do Abel, outro túnel lávico também conhecido por Furna de Lavar ou Furna do Roque.

Furna do Abel
Furna do Abel créditos: Joland

Localizada na freguesia da Luz, a Furna do Abel estende-se por 93 metros de comprimento. Termina num misterioso altar e uma cruz de pedra que se diz terem sido aqui construídos na década de 70. Diz-se ainda que aqui costumava existir uma fonte de água onde a população local costumava lavar a roupa, apesar de hoje não existir nenhum vestígio.

Conhecer as tradições e história da ilha no Museu da Graciosa

Se procura saber um pouco mais sobre os costumes e tradições da Ilha Graciosa o Museu da Graciosa é o local indicado para si. Aqui encontra uma vasta exposição composta por vários objetos ligados à cultura do vinho, cereais e atividade baleeira, assim como por imagens únicas que o levam numa viagem pelas tradições e cultura locais.

Descobrir o Burro Anão da Graciosa

Tendo perdido a sua utilidade na agricultura e transporte de pessoas e carga, o Burro Anão da Graciosa, raça autóctone da ilha, chegou mesmo a entrar no grupo de espécies em risco de extinção. Felizmente, começa hoje a recuperar a sua antiga glória, graças aos nobres esforços desenvolvidos por um italiano residente na ilha há 17 anos, o cenógrafo italiano Franco Ceraolo.

Burro Anão da Graciosa
Burro Anão da Graciosa créditos: Joland

Franco faz um trabalho exemplar na proteção e preservação destes animais através da Associação de Criadores do Burro Anão da Graciosa. Atualmente alberga dezenas destes animais, a maioria das qual nascida na sua propriedade, que trata como membros da sua família. O espaço está aberto a visitas mediante marcação prévia e é de entrada gratuita, mas é sempre bem-vinda uma doação para ajudar esta causa tão nobre.

Provar a típica Queijada da Graciosa

Se há algo que não pode faltar num roteiro pela Ilha Graciosa é a sua famosa Queijada, confecionada na perfeição pela Fábrica das Queijadas da Graciosa.

Queijadas da Graciosa
Queijadas da Graciosa créditos: Azoresphotos.visitazores - (Publiçor)

Fundada em 1991 por Maria de Jesus Félix, a fábrica é hoje gerida pelos seus três filhos que assim dão continuidade a um dos produtos mais distintivos desta ilha açoriana. Para além da Queijada tradicional, não deixe de provar também a Queijada de coco e os deliciosos pastéis de arroz.

Relaxar nas Termas do Carapacho

Se procura alguns momentos de relaxamento total, as Termas do Carapacho poderão bem ser o destino indicado para si. Com temperaturas entre os 35.º e os 40º, diz-se que as águas desta estância termal têm propriedades milagrosas já que, para além das suas funções calmantes, oferecem bons resultados no tratamento de doenças do foro reumatológico. A época termal decorre de maio a setembro.

Termas do Carapacho
Termas do Carapacho créditos: Azoresphotos.visitazores - (Publiçor)

Percorrer um dos vários trilhos pedestres

Frequentemente, a verdadeira beleza das ilhas açorianas encontra-se perdida no seu interior, em locais apenas acedidos a pé. Os amantes de caminhadas encontram na Graciosa boas oportunidades para explorar a ilha a pé, seguindo os três trilhos disponíveis, de dificuldade fácil a moderada, com extensões entre os 2 km e os 10 km.

Trilhos
Trilhos créditos: Joland

Os caminhantes mais experientes sentirão um interesse particular pela Grande Rota da Graciosa que, ao longo de 40 km divididos em 2 etapas, dá a conhecer grande parte da zona Este da ilha.

Descobrir o fascinante Porto Afonso

Porto Afonso encanta quem o visita com o seu ambiente misterioso. Este antigo porto de pesca localizado na costa oeste da Graciosa, está encaixado nas arribas de tom avermelhado da freguesia de Guadalupe. Apesar de se encontrar atualmente inutilizado, ainda é possível ver as grutas esculpidas nas arribas onde os pescadores costumavam guardar os seus barcos. No verão, há quem aproveite para se refrescar nas águas transparentes da sua baía.

Porto Afonso
Porto Afonso créditos: Joland

Participar nos animados Bailes de Carnaval

O Carnaval é uma das alturas do ano mais aguardadas pela população local. Festejado com grande euforia durante três meses (de janeiro a março), destaca-se pela realização de vários Bailes de Carnaval onde a população se junta para noites animadas repletas de dança. Se esta é também uma das suas festividades preferidas do ano, uma visita à Graciosa nessa altura dar-lhe-á a oportunidade de participar num dos mais tradicionais festejos de Carnaval do arquipélago dos Açores.

Dar um mergulho nas piscinas naturais e praias da ilha

As ilhas açorianas podem não ser ricas em praias de areia branca, mas isso não impede os açorianos de fazerem uso das águas que banham a sua costa. Se há algo que não falta em praticamente todas as ilhas são piscinas naturais que convidam a banhos refrescantes. A Graciosa não é exceção.

Poceirões
Poceirões créditos: Joland

Desde a Piscina Natural do Boqueirão e as populares piscinas do Carapacho, até à zona do Barro Vermelho e dos Poceirões, onde se encontram várias pequenas piscinas naturais de água cristalina entre as rochas: terá sempre várias oportunidades para se refrescar nas águas transparentes do Oceano Atlântico.

Fazer praia na Praia de S. Mateus

De areia quase branca, algo pouco comum no arquipélago açoriano, a Praia de S. Mateus, localizada na segunda vila mais importante da Graciosa, é uma das zonas balneares mais populares da ilha. Está equipada com várias infraestruturas de apoio como guarda-sóis, chuveiros, casas de banho e um café-bar.

Fazer mergulho ao largo da costa

Uma das atividades pelas quais a Ilha Graciosa é mais conhecida é o mergulho. Desde um navio naufragado a 21 mt de profundidade junto à entrada do porto da Praia, à gruta submarina do Carapacho: a ilha oferece vários spots de mergulho que fazem as delícias de todos os apaixonados por explorações subaquáticas.

Fazer mergulho
Fazer mergulho créditos: Azoresphotos.visitazores – (Nuno Sá)

Admirar a vista do Miradouro do Carapacho

Inaugurado em fevereiro de 2020, o Miradouro do Carapacho é um dos melhores locais para admirar a vista sobre a Ilha, em particular a Ponta do Carapacho e o Ilhéu de Baixo, tendo como horizonte o Oceano Atlântico. Localizado no caminho florestal que dá a volta à Caldeira, este miradouro está equipado com bancos de madeira corridos onde é possível desfrutar de momentos tranquilos com o som da natureza como banda sonora.

Miradouro do Carapacho
Miradouro do Carapacho créditos: Joland

Visitar o Farol da Ponta da Barca

Outro local a incluir num roteiro de viagem pela Ilha Graciosa é o Farol da Ponta da Barca, o mais alto farol dos Açores, localizado na costa noroeste da ilha, datado de 1930. Uma visita a este local oferece a oportunidade de admirar uma vista magnífica sobre o recorte da costa, banhada por águas de azul intenso. É possível visitar o interior às quartas-feiras, das 14h às 17h.

Farol da Ponta da Barca
Farol da Ponta da Barca créditos: Joland

Para mais informações sobre a Ilha Graciosa e os Açores visite

Para mais dicas de viagem e sugestões de escapadinhas visite o Joland Blog e siga-me no Instagram e no Facebook.

Visitei a Ilha de Santa Maria a convite da Região de Turismo dos Açores. Todas as opiniões expressas neste artigo são, no entanto, inteiramente minhas, sem influência de terceiros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.