O turista japonês Jesse Katayama conseguiu entrar nas ruínas graças a um pedido especial que apresentou após ter ficado retido desde março na cidade de Aguas Calientes, nas encostas das montanhas próximas ao local. O jovem pretendia ficar apenas alguns dias no Peru para visitar Machu Picchu, tendo bilhete para entrar na atração a 16 de março. No entanto, no dia anterior, foi declarado estado de emergência no país, adiando o seu sonho. Jesse Katayama acabou por ficar retido no país durante sete meses.

Com o Machu Picchu ainda encerrado, o japonês de 26 anos submeteu um pedido especial  para que pudesse visitar o local antes de regressar ao seu país. O pedido foi aprovado pelo Ministério da Cultura peruano e jovem realizou o sonho de visitar as ruínas incas no sábado.

Jesse Katayama tornou-se, assim, o primeiro visitante em sete meses a poder caminhar pelas ruínas da antiga civilização Inca.

O local continua fechado ao público, devendo apenas reabrir no próximo mês, não tendo sido ainda anunciada a data concreta da reabertura. O local permitirá 30% da sua capacidade normal de 675 pessoas por dia.

O Peru registou 33.305 mortes relacionadas com a doença e tem a maior taxa de mortalidade per capita do mundo. As ligações aéreas foram retomadas recentemente, mas apenas para sete países latino-americanos, e a indústria do turismo do país foi muito afetada pela pandemia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.