"Finalmente, o Japão reabrirá suas fronteiras", disse o ministro do Digital, Taro Kono, no Twitter, antes de um discurso do primeiro-ministro Fumio Kishida em Nova Iorque.

"A isenção de visto está de volta, sem limites diários e visitas individuais gratuitas", acrescentou, sem especificar a data de vigência ou a quantos países a medida se aplicaria. As entradas diárias no Japão têm vindo a aumentar constantemente desde o início do ano, tendo alcançado recentemente as 50 mil.

A desvalorização do iene, que perdeu 20% de seu valor em relação ao dólar desde o início do ano, deve tornar o Japão ainda mais atrativo para muitos visitantes. Uma entrada de divisas poderia ajudar a conter a queda da moeda nacional e dar um impulso à recuperação económica.

Em junho, o governo japonês autorizou o regresso de turistas estrangeiros, mas apenas integrados em excursões turísticas. Este dispositivo foi ampliado no início de setembro para autorizar estadias individuais, mas ainda através de uma agência de viagens.

O Japão não recorreu ao confinamento durante a pandemia, mas o uso de máscaras, sem ser imposto pelas autoridades, continua generalizado em locais públicos e transportes.

A taxa de mortalidade no país asiático atribuída ao coronavírus tem permanecido relativamente baixa (menos de 35 mortes por 100 mil habitantes).

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.