Cerca de 2.000 turistas visitaram o local no âmbito da reabertura, o número máximo de pessoas permitido por dia, que se devem organizar em grupos de 25 ou 30 pessoas para visitar a gruta. À data só é possível visitar a entrada da gruta.

Atualmente, os visitantes não podem aceder ao interior da gruta por motivos de segurança, de acordo com Kamolchai Kotcha, diretor da autoridade que supervisiona o local.

A gruta de Tham luang, no norte da Tailândia, foi fechada ao público após a aventura dos doze adolescentes de uma equipa de futebol escolar e do seu treinador.

Depois de nove dias foi encontrado o local onde as crianças entre 11 e 16 anos estavam, fracas e com fome. Ainda foram necessário mais nove dias para conseguir retirar os rapazes da gruta, que foram carregados em macas especiais por túneis estreitos.

Esta operação de ajuda internacional sem precedentes mobilizou centenas de salva-vidas noite e dia e manteve milhões de pessoas em todo o mundo com o coração na mão.

Desde então, os visitantes vêm ao local e as autoridades aspiram transformá-lo num importante centro turístico.

Um centro de informações foi aberto e uma estátua gigantesca foi erguida em memória do mergulhador tailandês que faleceu durante o resgate.

O equipamento usado pelos salva-vidas vai permanecer dentro da gruta para ficar exposto ao público.

O governo desembolsou 50 milhões de bahts (aproximadamente 1,6 milhão de dólares) para desenvolver a área.

Um centro comercial será construído a poucos quilómetros de distância, com lojas, restaurantes, hotéis e vários parques.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.