A campanha de 2023 do Comboio Histórico do Douro arrancou hoje, com três viagens previstas por semana, podendo estender-se até um total de 55 viagens e terminar apenas em novembro, disse o presidente da CP.

“Vamos aumentar o número de serviços (viagens) comparativamente aos anos anteriores. Em vez de dois serviços por semana, ao sábado e ao domingo, vamos passar a fazer três serviços regulares por semana nesta época de 2023”, afirmou Pedro Moreira aos jornalistas numa conferência de imprensa no Peso da Régua que antecedeu a partida do Comboio Histórico do Douro.

Este ano, especificou, haverá também uma viagem à quarta-feira pela Linha Ferroviária do Douro.

O comboio percorre o Património Mundial da UNESCO (sigla em inglês da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), entre as estações do Peso da Régua (distrito de Vila Real) e a do Tua (distrito de Bragança), com paragem na vila do Pinhão (Alijó, distrito de Vila Real).

A composição inclui a locomotiva a vapor, construída em 1925, e cinco carruagens de madeira, do início do século XX, com 254 lugares.

“No total pensamos que pode ir até aos 55 serviços, porque vamos prolongar para além do período que estava previsto”, salientou Pedro Moreira. Para já estão confirmadas 47 viagens.

O presidente da CP – Comboios de Portugal disse que a empresa está a reformular os serviços de turismo, especificando que, no caso da Linha do Douro, foi feita uma parceria com os municípios do Peso da Régua, Alijó e Carrazeda de Ansiães.

No âmbito desta parceria e para promover a região, a bordo do comboio serão oferecidos produtos como cálices de vinho do Porto ou moscatel de Favaios, bem como doces tradicionais.

No Pinhão, os turistas podem observar os painéis de azulejos da estação, que retratam a paisagem e a vida dos durienses, e o abastecimento de água à locomotiva quase centenária. A locomotiva faz, depois, as manobras de inversão na estação do Tua.

Este é um serviço que, segundo Pedro Moreira, “tem esgotado muito rapidamente”, atraindo “portugueses de todo o país” e “cada vez mais turistas estrangeiros”.

“Este ano quisemos oferecer três serviços exclusivamente para as regiões, em que as câmaras municipais, por sua vez, vão oferecer lugares a pessoas que vivem na região. É uma forma de a CP poder também agradecer às pessoas que mantêm esta paisagem maravilhosa, valorizam todos os dias a região e estão a dar um contributo importante na reformulação do serviço de turismo ferroviário”, referiu.

O programa do Comboio Histórico na Linha do Douro arrancou no final da década de 1990.

Questionado ainda sobre a greve parcial em curso, convocada pelo Sindicato Ferroviário de Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) para o período entre 06 de julho e 07 de agosto e que coincide com a Jornada Mundial de Juventude (JMJ), o presidente da CP disse que continuam as negociações.

“Continuamos em negociações, estamos convictos de que será possível reunir atempadamente condições para a realização dessas viagens, serviços adicionais, e uma prova também é que está a decorrer uma greve e vamos ter Comboio Histórico do Douro ainda hoje”, afirmou.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.