O cavacório tem a forma de concha e é revestido com fondant, açúcar em ponto e água.

cavacorios
créditos: andarilho.pt

Jorge Mourão, da pastelaria Nova Pompeia, de Vila Real, há três décadas que sugere uma prática muito particular, que seja consumido conjuntamente com vinho do Porto.

Para isso, picamos ligeiramente a cobertura do fondant com um garfo, “para o vinho penetrar, o que a gente chama enxaropar o cavacório. Para humedecer o doce porque o cavacório é seco.”

cavacorios
créditos: andarilho.pt

E o resultado no paladar é suave e de harmonia entre os dois sabores. “o vinho do Porto corta um pouco o doce do fondant porque a massa é só farinha, ovos e óleo. Não tem açúcar. O doce está no fondant. Na combinação com o Vinho do Porto fica uma junção perfeita, sem sobressair o vinho ou o doce.”

Jorge Mourão acrescenta que a aguardente também não fica mal. “Quando estou com um grupo de amigos, costumamos fazer com a aguardente. Picar o cavacório e colocar aguardente. Fica excelente. É uma combinação perfeita.”

cavacorios
créditos: andarilho.pt

Jorge Mourão é dono da pastelaria Nova Pompeia em Vila Real que, segundo diz, introduziu esta prática, de se consumir o cavacório enxaropado.

“Antes os cavacórios comiam-se normalmente. É natural que depois bebessem um copo. Para os antigos tudo servia para beberem. Neste caso, introduziu-se isto, foi uma novidade e a pessoas aderiram e aderem. Foi por volta dos anos 90 que se iniciou o hábito do cavacório enxaropado, é assim que denominamos esta prática.”

cavacorios
créditos: andarilho.pt

O cavacório é um doce tradicional de Vila Real e “tem sempre algum segredo porque leva farinha, ovos e óleo. Depois tem de ser batida num ponto que eu chamo de correr, fica quase em fio.”

cavacorios
Jorge Mourão com outros membros da Confraria do Covilhete, outra marca gastronómica de Vila Real créditos: andarilho.pt

É nesta altura que há maior procura dos cavacórios porque o doce é uma oferenda a S. Lázaro, o santo que salvou o Bairro dos Ferreiros de uma epidemia e cuja romaria se realiza este domingo. O bairro fica perto do rio Corgo, era uma zona de artesãos. Realizam na capela de S. Lázaro uma grande festa com procissão, missa e muitas barracas de comes e bebes. A lenda diz que o doce nasceu numa oferenda ao santo.”

cavacorios
créditos: andarilho.pt

A tradição ultrapassou a componente religiosa e passou para a doçaria regional. “Em Vila Real quase que 100% das pastelarias produzem cavacórios nesta altura. Cada um com a sua receita. O nosso é diferente. Enquanto os outros são duros, crocantes, mais parecidos com as cavacas das Caldas, o nosso é mais fofo.”

cavacorios
créditos: andarilho.pt

No entanto, é um doce sazonal, “até à Páscoa e depois um ou outro fim de semana. A doçaria tradicional está associada à religião. Na festa de Santa Luzia temos o pito, o S. Brás tem as ganchas e finalmente S. Lázaro com o cavacório.

Pito
créditos: andarilho.pt

Os pitos, com doce de abóbora, fazemos durante todo o ano.” Se nas outras festas a doçaria está associada a rituais de enamoramento, o cavacório marca a aproximação da Páscoa: “Lázaro, Ramos, na Páscoa estamos”.

cavacorios
créditos: andarilho.pt

Cavacórios de São Lázaro com vinho do Porto faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.