Gostavam de ter experiências exclusivas e fugir dos roteiros turísticos, mas ainda só encontraram opções de pacotes em resorts? Se querem proporcionar umas férias em família diferentes aos miúdos, tomem nota das dicas que se seguem.

Sei que os programas que habitualmente se encontram no mercado oferecem quase sempre o mesmo tipo de passeios. Então, para conseguir fazer algo mais personalizado, é preciso pensar um pouco fora da caixa. E preparem-se para pesquisar, pesquisar, pesquisar!

É o que tenho feito nos últimos anos. Porque o meu objectivo está bem definido: quero diversificar as experiências dos meus filhos o mais possível.

Férias em família
créditos: Viajar em Família

Para isso, tento sempre fazer férias em família diferentes, seja aqui mesmo à porta de casa ou do outro lado do Atlântico.

E devo referir que pode ser bem mais fácil do que parece. Às vezes basta mudar a perspectiva ou pequenos detalhes: onde dormimos ou como nos deslocamos, por exemplo.

Tenho ainda de fazer alguns esclarecimentos: nenhuma destas aventuras que faço colocam as crianças em perigo, os miúdos adaptam-se facilmente à novidade. E sim, em cada caso, ficamos inevitavelmente com mais uma boa história para contar.

Devo alertar também que para conseguir ter férias em família diferentes é preciso não ficar apenas por lugares estruturados para receber famílias: tais como resorts ou parques temáticos. Também lá vou e gosto bastante, mas não me fico por aí.

Gosto essencialmente de vivências novas, originais e genuínas. Por isso sempre levei os meus miúdos para vários lugares, com uma abrangência temática ampla.

Aqui ficam 3 ideias que uso para ter umas férias em família diferentes:

1. FAZER VOOS MULTI-CITY E STOPOVER

Sabiam que, numa viagem de avião com ida e volta, podem aterrar numa cidade e descolar de outra (no mesmo país ou nem por isso)?

Com esta opção, ficam com mais oportunidades de passeios, podem visitar mais sítios, sem ter necessidade de voltar atrás apenas para ir apanhar o voo de regresso a casa. Isto é conhecido por multi-city (multi-cidades).

Stopover
créditos: Viajar em Família

O preço destes voos é em regra praticamente igual à tradicional passagem de ida e volta desde a mesma cidade.

Podem ainda aproveitar o chamado stopover. Significa que podem fazer uma escala num voo de longo curso, a custo zero ou com uma taxa muito reduzida.

Algumas companhias aéreas permitem que os passageiros fiquem 24h, 48h ou 72h numa cidade com o preço de apenas uma passagem aérea, o que na prática pode traduzir-se a que se conheçam dois destinos pelo preço de apenas um.

2. NÃO DORMIR EM HOTEL

Porquê ficar sempre em quarto de hotel, se existem outras alternativas tão divertidas?

Em Portugal, já fomos dormir num moinho e recomendamos a experiência. Foi em Setúbal, com uma linda vista para a Península de Tróia, mas sei que também existe esta possibilidade em outras zonas do país.

Dormir num moinho
créditos: Viajar em Família

Na Europa, já experimentámos dormir num comboio internacional, num avião com camas na Suécia, num barco ancorado em Berlim, numa casinha em madeira em frente a um fiorde na Dinamarca e numa Universidade em Inglaterra, que estava fechada para férias e aberta a visitantes externos.

As memórias que criamos, os momentos que passamos nestes lugares são realmente inesquecíveis.

3. ANDAR A PÉ E DE TRANSPORTES PÚBLICOS

Dos países que conheço, apenas no Brasil (e em especial no Rio de Janeiro), recomendo andar de táxi com prioridade aos outros transportes.

Lá é relativamente barato, cómodo, seguro (os de cooperativa). Sendo que a alegria dos taxistas é, em regra, bastante contagiante, dando possibilidades de conversas muito ricas em curiosidades e histórias divertidas.

Mas em capitais europeias normalmente o metro, eléctrico e autocarro funcionam muito bem para curtas distâncias. E para sair da cidade, os comboios ou ferries são rápidos, frequentes e acessíveis.

Andar de bike nas férias
créditos: Viajar em Família

Outra ideia gira, para ter umas férias em família diferentes numa cidade, pode ser alugar uma bicicleta. Aveiro, em Portugal, Barcelona, em Espanha, Amesterdão, na Holanda, ou Copenhaga, na Dinamarca, são excelentes cidades para alugar bicicletas por apenas umas horas.

E ainda, não convém esquecer, fazer sempre vários percursos a pé. É assim que se conhece verdadeiramente os lugares que visitamos. Porque pelo caminho nos cruzamos com pessoas que vão para o trabalho, com famílias a passear, com paisagens, lojas ou restaurantes que descobrimos por mero acaso.

Estas vivências podem ensinar-nos muito sobre o modo de vida nesse destino. Se ficarmos sempre fechados em transportes turísticos, apenas convivemos com turistas e pouco sentimos o real quotidiano do lugar que estamos a visitar.

Por Joana Batista do Viajar em Família

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.