A combinação pareceu-me perfeita para aproveitar uns dias de descanso na paz e tranquilidade do Alto Alentejo e no roteiro tinha a visita a vilas históricas como Crato e Alter do Chão, por isso procurei um alojamento que ficasse naquela área.

Chegar foi um pouco difícil porque a propriedade não aparecia no GPS e o site da Herdade da Rocha não tinha informação das coordenadas. Um telefonema rápido para a receção resolveu o problema e lá dei com o lugar.

O check-in foi rápido e todos os cuidados de higiene foram respeitados: havia álcool gel à entrada, a funcionária estava de máscara (assim como eu), a chave foi desinfetada antes de ser entregue… enfim, tudo o que as circunstâncias atuais exigem.

O quarto era confortável, decorado com muito gosto e com detalhes que fazem a diferença, como amenities da marca Rituals ou um cesto para levar a toalha da piscina. Tinha uma pequena varanda com vista para as vinhas e uma mesa com cadeiras, onde de manhã, a pedido, podia ser servido o pequeno-almoço.

As áreas comuns são igualmente confortáveis e tem um ambiente familiar e aconchegante. Os detalhes da decoração deixaram-me encantada.

A piscina e toda a área circundante é perfeita para relaxar, principalmente de manhã bem cedo. Por momentos, as palmeiras e esculturas asiáticas, quase te fazem acreditar que saíste do Alentejo e estás em Bali ou talvez na Tailândia.

Mas aquilo que realmente distingue esta Herdade são as suas belíssimas terras. Coladas às encostas da serra de S. Mamede, são ideais para descobrir a pé ou de bicicleta. Tem as oliveiras, as vinhas; uma adega deslumbrante, a Herdade produz vinho de excelente qualidade (e azeite também); um passadiço; zona de piquenique; bonitos trilhos, pontuados aqui e ali por esculturas incríveis; um monumento designado por Retiro da Paz, que convida ao recolhimento e à meditação; e como bónus, durante o passeio ainda podemos encontrar vários animais como veados e cabras. É um verdadeiro deslumbre.

Já me hospedei em muitos hotéis maravilhosos, mas devo dizer que este me surpreendeu (e muito) pela positiva. As fotos não fazem justiça à beleza deste lugar.

O pequeno-almoço, escolhido à carta, era decente, mas nada que mereça muitos comentários. Tinha fruta fresca, pão, croissants, queijo, presunto, ovos, sumo de fruta - o habitual neste tipo de unidade hoteleira. A apresentação é que foi um pouco descuidada (as torradas chegaram a vir queimadas, o café tinha muitas borras - detalhes que podiam ser melhorados). Aliás, o único ponto fraco para mim, foi mesmo o restaurante, que me pareceu estar a funcionar com serviços mínimos.

Em todo o caso, os funcionários foram muito simpáticos e prestativos e tudo o resto foi tão bom, mas tão bom, que fiquei com imensa vontade de regressar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.