Este hotel oferece uma experiência extraordinária para os viajantes, permitindo-lhes conviver com os animais e caminhar no meio da natureza por todo o centro, enquanto alimentam as girafas Rothschild que correm perigo de extinção.

Estar sentado a tomar o pequeno-almoço numa agradável varanda e uma girafa vir ter consigo à procura de algo para comer parece algo surreal e pouco provável que aconteça.

Mas, na verdade, acontece. Todos os dias, por volta das 6h30, no Giraffe Manor, em Nairobi, esses animais vagueiam lentamente pelo jardim em busca de um delicioso snack e não se coíbem de pedinchar a quem por lá toma o pequeno-almoço.

O Giraffe Manor faz parte do centro de girafas, que foi criado na década de 1970 por um casal britânico - Jock e Betty Melville - que começaram a criar as espécies quando descobriram que as girafas de Rothschild tinham perdido a maior parte de seu habitat a leste do Quénia para a agricultura. Desde então, eles introduziram esta espécie de girafas no Parque Nacional do Quénia.

O centro tem um programa de reprodução, um museu, trilhos ecológicos e um deck de observação onde os turistas podem encontrar e alimentar as elegantes girafas da espécie Rothschild.

O Giraffe Manor pode ser reservado por uma noite ou, para uma estadia ainda mais inesquecível, como parte de um programa completo de safari feito sob medida.

“Sem comida, não há amizade”, é o que uma equipa do centro de Girafas alerta, e é completamente verdade; por isso, tenha sempre comida à mão enquanto se aproxima das girafas. Se não, estas vão ignora-lo ou mesmo dar-lhe uma cabeçada.

O Giraffe Manor tem 10 quartos onde o luxo não é apenas um acessório. Se é um amante da natureza ou desta espécie de longo pescoço, este é o local ideal para uma aventura.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.