Sim, o Castelo de Guimarães representa um dos grandes marcos históricos do nosso país. Gravada num pedaço de muralha, lá está a frase em letras brancas garrafais “Aqui nasceu Portugal”, para que ninguém se esqueça da importância daquele lugar na formação do país.

Eu já não ia a Guimarães há alguns anos e fiquei bastante surpreendida neste regresso. O centro histórico da cidade de Guimarães está lindo!

Por outro lado, o castelo é mais pequeno do que eu me lembrava. Mas foi um dos vencedores da eleição para "As 7 Maravilhas de Portugal" em 2007 e merece, sem dúvida, uma visita em família.

Visita essa que será ainda mais interessante se os miúdos já estudaram esta matéria da História de Portugal na escola. Porque irão, de certeza, reconhecer muitas datas e personagens.

O Castelo de Guimarães tem sete torres e alguns degraus que valem a pena subir para espreitar as vistas. Só tenho de vos fazer a recomendação do costume: mantenham sempre os miúdos debaixo de olho, enquanto estiverem a caminhar na muralha.

Visitar o Castelo de Guimarães em família
créditos: Viajar em Família

Existem várias protecções de madeira, mas a atenção para com os movimentos dos jovens aventureiros, já sabem, tem de ser constante.

A Torre de Menagem está acessível através de uma pequena ponte em madeira e foi reaberta recentemente (em meados de 2016). Agora está lá uma exposição interactiva que recorda em fotos, textos e sons alguns dos mais importantes dados históricos, a começar pelo Condado Portucalense.

O Castelo de Guimarães fica numa colina mas é facilmente acessível a pé (talvez a uns 10 minutos) desde o centro histórico (um lugar tão bonito e bem cuidado que só me fez lembrar um cenário de filme). É até classificado pela UNESCO como Património Mundial.

E nesta visita feita de subidas e descidas não se esqueçam de levar calçado confortável, pois o terreno no interior e exterior do castelo é bastante irregular.

Aproveitem também enquanto lá estão nas alturas para passar às crianças algumas das informações sobre a construção ou utilização do Castelo de Guimarães ao longo dos anos. Sentem-se nos bancos de uma das janelas completamente abertas, imaginando histórias que se terão ali passado.

Foi então no século X  que a Condessa Mumadona Dias mandou construir um Mosteiro. Mais tarde, decidiu construir uma fortaleza como forma de proteger os monges e a comunidade cristã que lá viviam, dos ataques frequentes dos mouros. É assim que surge o primitivo Castelo de Guimarães.

Visitar o Castelo de Guimarães em família
créditos: Viajar em Família

Mais tarde, no século XII, o Conde D. Henrique e a Dona Teresa foram viver para este castelo. Terá até sido lá que nasceu D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal. Sendo baptizado na Igreja de São Miguel, que fica apenas uns metros mais abaixo.

Quando a sua função defensiva ficou sem efeito, o Castelo de Guimarães foi-se degradando até atingir um estado de abandono considerável. Já no século XX, foi restaurado e declarado Monumento Nacional.

Aproveitem para visitar também o Paço dos Duques de Bragança. À sua frente está a estátua de D. Afonso Henriques. Atrás fica a Igreja de São Miguel e o Castelo de Guimarães, acessível através de umas quantas escadas naturais escavadas no terreno.

Visitar o Castelo de Guimarães em família
créditos: Viajar em Família

É um edifício bonito, emblemático. Construção do século XV, tem uns vitrais lindíssimos na igreja. Foi consagrado Monumento Nacional em 1910, ainda antes da sua reconstrução entre 1937 e 1959.

Mas talvez o que os miúdos mais gostem de ver são as salas mobiladas com artigos que eles reconhecem bem: os diferentes tipos de espadas e uma cama real, por exemplo.

Na bilheteira, peçam a entrada conjunta (Castelo de Guimarães e Paço dos Duques de Bragança) para usufruírem de um desconto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.