Se nasceu pela década de 1980 recordar-se-á que, para além da coleção “Uma Aventura”, as autoras Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada também escreveram a coleção “Viagens no tempo” que fazia as delícias dos amantes de história, na literatura infanto-juvenil.

Se nunca leu “O dia do terramoto” (ou se leu) e se gostava de saber mais sobre o fatídico dia 1 de novembro de 1755, o tour “Os dias do terramoto” da Time Travellers está a chamar por si.

O terramoto faz parte da história de Lisboa e há um tour que o leva à história desse dia
créditos: Time Travellers

“Este tour combina a visão histórica com os dados arqueológicos que vão sendo recolhidos pela cidade à medida que se vão realizando intervenções arqueológicas. Para o criarmos fizemos muita pesquisa histórica mas também fomos à procura dos relatórios e publicações arqueológicas”, explica Raquel Policarpo, uma das fundadoras da empresa, em conjunto com Inês Ribeiro, ambas arqueólogas de profissão.

Assim, “também usamos conhecimento que obtivemos no nosso próprio trabalho como arqueólogas, visto que já escavámos ou visitámos contextos desta época que normalmente não estão acessíveis ao público”, completa.

Sabe que monumentos caíram nesse dia? Ou consegue imaginar a confusão que se viveu nesses tempos? E sabe quem foi a personagem principal na reconstrução da cidade? Estas e outras perguntas são respondidas nos locais onde os acontecimentos tiveram lugar, pelo que vá preparado para caminhar. Mas não se preocupe com o sobe e desce das ruas de Lisboa, entre o Carmo e a Baixa pombalina. A ideia é que se divirta e, sobretudo, que aprenda mais sobre o antes, o durante e o depois do terramoto, mais de dois séculos depois.

O terramoto faz parte da história de Lisboa e há um tour que o leva à história desse dia
créditos: Time Travellers

“A maior parte das pessoas só conhece a versão oficial do que foi o terramoto, o conhecimento geral, e gostam muito de vir descobrir as pequenas histórias e os casos particulares e os mitos que existem mas que afinal estão errados”, explica Raquel Policarpo.

E segundo a arqueóloga a experiência tem sido compensadora até porque o feedback dos participantes tem sido “muito bom”. Para Raquel deve-se ao facto de “no nosso passeio tentamos que (as pessoas) percebam e consigam imaginar como era a cidade do antigamente, o que não é fácil porque ela mudou completamente e toda a gente fica fascinada com isso: com a forma como uma cidade desapareceu, levando consigo grandes monumentos, ruas, casas, igrejas, e não deixou qualquer vestígio”.

A verdade é que o tour já ganhou alguma fama pois se inicialmente o mesmo se realizava apenas numa data próxima à efeméride, a Time Travellers teve necessidade de começar a fazê-lo com mais regularidade.

O terramoto faz parte da história de Lisboa e há um tour que o leva à história desse dia
créditos: Time Travellers

Este não é o único tour disponível mas o tamanho do grupo pode variar conforme as inscrições. “Já fizemos tours apenas com 2 pessoas, pelo que será esse o nosso mínimo. O máximo são 20 pessoas, porque gostamos que todos nos oiçam e possam intervir, fazer comentários e perguntas. Achamos que grupos maiores podem ser mais intimidantes para os participantes e dificultam a comunicação”.

Se ficou curioso pode saber mais informações aqui.


Data: 5 Novembro de 2016

Horário: Entre as 10h e as 13h

Ponto de encontro: Largo do Carmo

Inscrições: Até dia 2 Novembro

Preço por pessoa: Adultos: €15 | Crianças até 12 anos: €5 (O valor inclui entrada e visita ao Museu do Carmo e Seguros)

Número de participantes: Mínimo de 2 pessoas e máximo de 20

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.