Ruínas Romanas de São Cucufate (Vila de Frades)
Um local a visitar, sem dúvida, e que é uma verdadeira lição de história para miúdos e graúdos. As ruínas datam do século I d.C. e são o que resta de uma gigantesca Villa romana. A sua origem remonta à ocupação romana, no século I, com registo de várias alterações ao longo do tempo. No século II é feita uma segunda edificação e a casa terá sido refeita no século IV para dar origem a uma vila palaciana, cujas ruínas permanecem ainda hoje, levando a crer que tenha sido uma próspera casa agrícola.

Existe ainda um tanque de pedra que poderá ter sido usado como piscina. No interior da construção, surgem salas abobadadas usadas para guardar talhas para fazer vinho e azeite, produtos que eram valorizados pelos romanos. As ruínas foram classificadas como Monumento Nacional em 1947 e é o único do concelho. Após a vila romana ter sido considerada um monumento nacional, o IPPAR criou em Vila de Frades um Núcleo Museológico na Casa do Arco, edifício cedido pela Câmara Municipal da Vidigueira.

Visitas:
Inverno (16 setembro - 30 abril) Ter: 14h-17h / Qua-Dom: 10h-13h | 14h-17h30
Verão (2 maio - 15 setembro) Ter: 14h30-18h30 / Qua-Dom: 10h-12h30 | 14h30-18h30

Quinta das Ratoeiras
Para ficar, recomenda-se o Eno-Turismo Rural Quinta das Ratoeiras com 6 quartos duplos independentes. Se viajar com crianças, pode sempre pedir para ficar em quartos comunicantes, uma opção disponível quando solicitada. Todos os quartos têm ar condicionado, TV por cabo e mini frigorífico. As casas de banho também estão equipadas com uma coluna de hidromassagem. O pequeno-almoço é servido à hora que o cliente pedir. Uma vantagem, sem dúvida, para quem não quer estar "preso" a horários.

E como se trata de um Eno-Turismo Rural pode ainda experimentar o vinho da talha feito na propriedade, à moda dos romanos. Uma tradição que se mantém viva em toda a região de Vila de Frades/Vidigueira. O dono, Pedro Luís de Castro, terá todo o prazer em lhe mostrar a adega e explicar como este vinho é feito. E em cada quarto há uma garrafa de vinho como oferta.

Mas a Quinta das Ratoeiras não oferece apenas vinho. Para os visitantes, há a possibilidade de verem uma oliveira com cerca de 1000 anos, de participarem nas diversas atividades agrícolas que a propriedade desenvolve ao longo de todo o ano, como por exemplo, a vindima, a apanha da azeitona no outono ou a apanha da laranja, no inverno.

A Quinta das Ratoeiras está ainda localizada no meio de várias rotas turísticas, como a Rota do Vinho e a Rota do Fresco, com muitos locais de grande interesse turístico à volta.

O vinho
Um dos vinhos produzidos na região é o Antão Vaz, que tem uma história muito curiosa. Na altura dos Descobrimentos, Vasco da Gama foi nomeado Conde da Vidigueira. Mas precisava de alguém de confiança para lhe tratar das vinhas, e escolheu o seu familiar Antão Vaz de Camões, cujo nome ficou para sempre ligado à casta. Antão Vaz de Camões, casado com uma sobrinha de Vasco da Gama, acabou anos mais tarde por vir a ser o avô de Luís Vaz de Camões, o grande poeta português.

Na Adega Cooperativa da Vidigueira, além do Antão Vaz são produzidos muitos outros vinhos, alguns deles já galardoados com vários prémios. Por exemplo, Vidigueira Reserva e Vidigueira Grande Escolha receberam este ano o Ouro, no concurso internacional Citadelles du Vin 2016, em França. Pode experimentar os vinhos da Adega no Wine Bar e adquiri-los na loja, tudo no mesmo espaço. E faça um brinde à Vidigueira!

Fotos: @Susana Krauss

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.