Quem vem a Leiria certamente não se aborrecerá. Ladeado tanto pela serra como pelo mar, o distrito contém em si material para todos os gostos e atividades de todo o tipo. Se um gap year por Portugal fizer parte de uma ideia, este é o sítio ideal para que a ideia se torne uma realidade.

Começando a sul encontramos Peniche. Quem faz ou gosta de surf certamente conhecerá a praia de Supertubos, que acolhe diversas competições do desporto. Os amantes de história saberão sobre a Fortaleza de Peniche, em tempos uma famosa prisão política, que ainda hoje se pode visitar. Também o Cabo Carvoeiro é imagem emblemática aqui e um ponto de paragem obrigatório.

Cabo Carvoeiro
Cabo Carvoeiro créditos: Carolina Sousa

E, claro, quem não conhece as Berlengas? Um conjunto de ilhéus que nos transportam a uma realidade paradisíaca, onde o mar é límpido e o som único das gaivotas se faz ouvir em qualquer lugar que se pise. Contudo, para além destes locais mais conhecidos, existe, por exemplo, o Ilhéu da Papôa, com acesso por terra (através de pontes de madeira) e perfeito para assistir a um belo pôr-do-sol. Também a praia do Baleal, atravessada a meio do areal por uma estrada onde podem circular carros, é um sítio a não perder.

Aproveitando a boleia, um pouco mais para o interior, temos a famosa vila de Óbidos. Escusado será dizer que quem para em Óbidos não dispensa a sua ginja (de preferência num copinho de chocolate). No entanto, há mais na vila que só ginja. Óbidos alberga o projeto Óbidos Vila Literária, e, como tal, é o sítio ideal para amantes de literatura. Tem inúmeras livrarias, uma delas a livraria de São Tiago, que é uma igreja transformada em livraria. Outra (a minha preferida) é a livraria do mercado biológico, que, como o nome indica, é um dois em um.

Da crista da onda ao interior de uma gruta. Explore o distrito de Leiria com novos horizontes
Óbidos créditos: Marta Cunha Grilo

Para os mais gulosos, existem dois sítios a não perder: as Caldas da Rainha, com as suas cavacas das Caldas, e Alcobaça, com os seus famosos doces conventuais (recomendo, em específico, a cornucópia).

Alcobaça é uma cidade que merece tempo. Para além do mosteiro, que contém em si uma das mais belas histórias de amor (é aqui que estão sepultados D. Pedro e D. Inês de Castro, juntos na eternidade), podem ser vistos vários palacetes e, para litoral, inúmeras praias, entre as quais S. Martinho do Porto e a sua belíssima baía.

Mosteiro de Alcobaça
Mosteiro de Alcobaça créditos: Marta Cunha Grilo

É também com o mar à vista que se estende a famosa Nazaré. Todos a conhecemos pelas suas ondas gigantes e o forte se S. Miguel Arcanjo, de onde se pode ver o canhão da Nazaré. Contudo, lá em baixo na vila, existe igual encanto, com as nazarenas nos seus fatos típicos a vender carapaus e sardinhas, as gaivotas sobrevoando o porto e a praia da Vila, na sua calma que contrasta com a praia do Norte. Aqui não se dispensa um belo dia ao sol, cheio de mergulhos e bolas de Berlim. O que também não se dispensa é uma mariscada, nas imensas tascas que por cá se encontram.

Para o interior, temos a Batalha, com o seu mosteiro que parece saído do filme (vale muito a pena a visita) e o castelo de Porto de Mós, com o seu telhadinho verde. É aqui que se encontra também a Serra de Aire e Candeeiros. A Gruta de Mira de Aire é, sem dúvida, indispensável para os amantes da natureza, assim como os inúmeros trilhos da serra e as pegadas de dinossauros que aqui se podem ver (sim, pegadas de dinossaudos!). A Fórnea, um local quiçá menos conhecido, é interessante para os amantes de geologia ou para os amantes de paisagens, como eu. No inverno é possível ver a sua cascata cheia de água e aproveitar a calma que o lugar oferece.

Grutas de Mira de Aire
Grutas de Mira de Aire créditos: Viajar em Família

Por fim, abre-se Leiria. Para além do castelo, Leiria é uma cidade que, por si, é um sonho. Por muitos conhecida como sendo uma das cidades mais alternativas de Portugal, pelas suas ruas do centro histórico pode encontrar-se arte de rua a cada esquina, assim como uma enorme variedade cultural e comidas de encher o paladar. A subida até ao castelo pode ser feita a pé, aproveitando cada esquina desta bela cidade.

Como costumamos enfatizar na Gap Year Portugal, um gap year não é só passeio. No teu gap year podes trabalhar, podes estudar, fazer voluntariado ou qualquer outra coisa que faça sentido para ti. Em Portugal também o podes fazer. Falando da zona de Leiria em específico, existem bastantes projetos para os quais te podes voluntariar e criar um impacto positivo.

Através da “Brincar na Rua”, podes ajudar a colocar as crianças da cidade de Leiria a brincar em segurança na rua de novo. O projeto “Refood” em Leiria visa erradicar não só o desperdício alimentar como também a fome. Há projetos de resgate e proteção animal como a “Desprotegidos” e a “Gapa” que beneficiariam muito com o teu apoio. O Atlas People Like Us tem uma mão cheia de projetos que visam intervir na comunidade para promover voluntariado e comunicação, com projetos como o “velhos amigos”, que tem como objetivo combater o isolamento e solidão dos mais idosos. Caso criar um impacto positivo seja um dos teus objetivos enquanto gapper, estas são algumas das opções que podes encontrar nesta zona, muitas outras existem que talvez façam sentido para ti.

Caso queiras trabalhar, no distrito existem também trabalhos sazonais da apanha da fruta, por exemplo, na zona de Alcobaça (maçã de Alcobaça). Amantes de surf que nunca tenham tido a oportunidade de pegar numa prancha encontrarão, ao longo da costa, inúmeras escolas de surf, que os colocarão na crista da onda em menos de nada. Com um pouco de pesquisa, depressa descobrirás aquilo que melhor se adequa a ti. Como podes ver, opções não faltam. Porque não explorá-las aqui, no centro do nosso Portugal?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.