Wat Chalermprakiat começou a ser construído em 2004, para comemorar o 200º aniversário da dinastia Rattanakosin e ficou completo em 2015. É preciso subir 800 metros através de escadas de ferro até chegar aos dois primeiros templos, no topo da montanha Pu Yak, atualmente abertos ao público. Para alcançar os restantes templos, é necessário percorrer trilhos sem escadas, apenas pequenos caminhos íngremes de terra com rochas e arbustos, numa caminhada que se pode revelar desafiadora e exigente.

O Wat Chalermprakiat pode ser segmentado em três níveis. Na base, os visitantes podem estacionar os carros, comprar os bilhetes (custam cerca de 3 euros) e fazer o percurso num jipe, por uma estrada estreita e absurdamente íngreme, até meio da montanha.

A partir do nível médio, os visitantes podem começar a subida de 800 metros até ao nível superior ou fazer um desvio para visitar o pavilhão do Bodhisattva de Guanyin que exibe uma imagem de Uthong Udomsup Buddha, e onde há pegadas gigantes que são sagradas para os budistas.

Após a subida cansativa, os visitantes são recompensados com uma vista deslumbrante, num local de paz que, segundo os tailandeses, "aproxima as pessoas do céu". O mar de verde estende-se por quilómetros de distância, num cenário pontuado pelas torres pontiagudas que balançam nas encostas rochosas. Não importa se é religioso ou não, Wat Chalermprakiat é um lugar que vale a pena visitar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.