Para combater a desertificação, e à semelhança do que tem sido feito noutras cidades italianas, Cammarata, na Sicília, está a oferecer casas para atrair novos moradores.

Com a população a diminuir, à medida que os jovens procuram oportunidades de emprego nas grandes cidades, Cammarata corre o risco de extinção nas próximas décadas. Assim, o presidente da câmara, Vincenzo Giambrone, está a convencer os proprietários de casas que deixaram a vila a entregar as casas gratuitamente a novos moradores.

"Não suporto ver este lindo centro histórico vazio e em ruínas. Isso magoa-me", disse Giambrone à CNN Travel. "Os proprietários ignoram os danos que causam quando abandonam as suas casas e se recusam a restaurar as suas antigas moradias. Isso deixa uma profunda cicatriz na paisagem urbana, com o risco de colapsos perigosos".

Famosa pelo seu centro histórico, ar puro e florestas densas, Cammarata fica no topo de uma colina e tem uma população de cerca de 6120 habitantes. Está a cerca de 90 minutos de carro de Palermo e cerca de 44 minutos do centro turístico de Agrigento, famoso pela sua arquitetura, com os edifícios gregos antigos mais bem preservados fora da Grécia.

Atualmente, existe cerca de uma dúzia de casas de pedra vazias disponíveis gratuitamente, mas Giambrone diz que, no futuro, mais casas estarão disponíveis.  Os novos moradores devem comprometer-se a renovar a propriedade dentro de três anos e pagar um depósito de 5.000 euros que será devolvido assim que a obra estiver concluída.

Famílias jovens com filhos terão prioridade e casais que se mudem para lá e tenham um bebé recebem um bónus de mil euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.