Um dia, Renato Carvalho começou a pensar no que os turistas do Rio de Janeiro iam visitar. Sempre os mesmos locais! E quando voltavam, uma e outra vez, acabavam por ir aos mesmos sítios e quase sempre só exploravam a Zona Sul (Copacabana, Ipanema, etc).

Nesse mesmo dia, decidiu criar a Rio Secret Spots para dar a conhecer locais que não são muito conhecidos, mesmo para alguns dos cariocas.

Primeiro, aponta as visitas para a Zona Oeste, faz subidas à Pedra Bonita, para assistir ao nascer ou pôr do sol, e deixa-nos deslumbrados com as praias quase desertas, que vamos encontrando pelo caminho.
Se já acha que é o Rio de Janeiro é mesmo a Cidade Maravilhosa, com as imagens deste tour vai querer conhecer todos estes locais "secretos".

O meu tour começou às quatro da manhã. O Renato vai buscar os participantes em cada hotel e partimos, ainda de noite, para a Pedra Bonita.

Qualquer um pode ir até à Pedra Bonita, pensam vocês.... Não. De noite e no meio do mato, o mais certo é perderem-se na floresta e depois... é ficar a chamar por socorro, porque nem rede vai ter para ligar do telemóvel.

Depois de uma subida de cerca de 20 a 30 minutos (sempre a subir!) chegamos ao topo da Pedra Bonita. Estava uma neblina cerrada que não deixava ver sequer a Pedra da Gávea, que fica mesmo em frente. De vez em quando a neblina cedia e conseguíamos ver a cidade a começar a acordar.

Por detrás dos morros, desponta a grande bola laranja: o sol. Que lindo foi este amanhecer.
Depois de vermos o nascer do sol, descemos de novo a floresta. E se, na subida, não conseguimos ver nada de noite, de dia tem um enorme encanto. As gotas de orvalho a descerem, das milhares de folhas, transformam-nas quase numa chuva refrescante, de ambiente tropical.

De seguida, atravessámos a cidade em direção à Zona Oeste. Passámos a Praia da Barra e, entre a Praia do Recreio e a Praia da Macumba (cheias de surfistas numa segunda-feira de manhã), fazemos uma nova paragem para tornar a subir para um local panorâmico: a Pedra do Pontal.

As paragens são sempre para tirarmos fotografias, conversarmos um pouco e para desfrutar do local. O meu tour durou todo o dia, mas foi a pedido. Normalmente o tour tem 7 horas e a Rio Secret Spots tem variados programas, adaptados a diferentes gostos.

O meu tour passou ainda pela piscina natural do Secreto (estava maré cheia e, por isso, não deu para mergulhar); pela bonita Prainha, no meio dos montes, local predileto de surfistas experientes; fizemos uma pausa na praia do Grumari (para imagens espetaculares com o drone do guia, Renato); e regressámos para almoçar no restaurante Mirante da Prainha.

Depois, ficamos a relaxar na Joatinga. Quando chegámos a maré estava cheia, então a opção é ficar - rodeado de casais de namorados - a olhar a bonita paisagem. Paragem de novo para fotografia, no Mirante do Joa, e a minha visita acabou, antes de retornar ao hotel, com a Vista Chinesa, uma das panorâmicas mais icónicas do Rio de Janeiro.

No final, o Renato envia-nos algumas imagens que nos foi tirando, e um pequeno vídeo do nosso dia com ele (por vezes, com imagens do drone). Melhor não há!

Além destas, tem muitas mais atividades, desde explorar montanhas, rios ou outras praias virgens. Para a próxima visita ao Rio vou querer ir visitar mais "secret spots". Mais informações aqui.

Veja também o vídeo do tour com mais imagens inéditas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.