Um estudo realizado a viajantes de 20 países diferentes revela que 94% dos passageiros estariam dispostos a pagar mais 90 euros para terem uma viagem personalizada e de acordo com as suas necessidades pessoais.

Quando perguntado onde é que estariam dispostos a investir para usufruirem de um voo mais agradável, os passageiros responderam: upgrade nos lugares, bebida e comida a bordo, lugares preferenciais e espaço extra para as pernas. Wi-fi a bordo e mais bagagem também foram algumas das preferências.

Os viajantes da região da Ásia escolheram bagagem extra, comida e bebida a bordo, seguro de viagem e check-in prioritário.

O estudo também descobriu que cerca de 80% dos viajantes já gasta mais para além da tarifa base para terem um voo mais confortável. Mas este número poderia subir para 94%, caso as companhias áreas estivessem dispostas a investir em serviços personalizados.

O vice-presidente da Sabre Airline Solutions, Dino Gelmetti, disse que a personalização daria às companhias aéreas a possibilidade de manterem um registo das preferências dos passageiros e oferecerem-lhes os serviços que mais desejam aquando da reserva.

A companhia área Qantas, por exemplo, já usa os dados dos passageiros frequentes para personalizar a experiência de viagem dos seus clientes de topo, mas essa é apenas a ponta do iceberg no que diz respeito ao uso da informação. por parte das companhias aéreas.

"As companhias aéreas sabem o que os clientes querem, tendo em conta a compra de voos anteriores. No entanto, essa informação continua a não ser usada", afirma Dino Gelmetti.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.