Segundo o chefe regional da polícia de Cusco, Wilbert Leyva, autoridades descobriram o grupo numa parte restrita do templo, onde também verificaram que um bloco de pedra de um muro tinha sido partido, danificando o piso da construção. Além disso, os funcionários encontraram fezes no templo.

O grupo de seis pessoas - um francês, dois brasileiros, dois argentinos e um chileno - é acusado de ter danificado a herança cultural da cidadela inca. Se forem considerados culpados, os turistas podem ser condenados a uma pena de pelo menos quatro anos de prisão, segundo informou AFP.

O Machu Picchu é Património da Humanidade da UNESCO desde 1983 e recebe cerca de milhão e meio de turistas por ano. Algumas partes do Templo do Sol têm o acesso vedado a turistas por razões de preservação. No local, costumavam fazer-se oferendas ao sol, considerado a divindade mais importante do Império Inca.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.