Vídeo mapping chega a Alenquer com o programa de Natal

Alenquer, conhecida como "vila presépio", iniciou no dia 3 de dezembro o seu programa de Natal, tendo como principal novidade um espetáculo de vídeo mapping sobre a história do presépio centenário. O tradicional presépio de rua de Monsaraz, com 46 figuras em tamanho real também vai animar a vila até janeiro.

O espetáculo de vídeo mapping, na fachada do edifício da Romeira, "vai permitir compreender a ligação da vila à história do presépio, que chegou há 800 anos pelos franciscanos e que desde há 49 anos é colocado pela câmara na encosta da vila, desde que ocorreram cheias em 1967", explicou o vice-presidente da autarquia, Rui Costa.

Foram inauguradas na sexta-feira as iluminações de rua e o presépio tradicional na encosta da vila, composto por 20 figuras que atingem os 20 metros de altura.

Vídeo mapping chega a Alenquer com o programa de Natal
créditos: Divulgação/ CM Alenquer

Por o presépio ser a imagem de marca de Alenquer, “Vila presépio de Portugal”, o programa, entre dia 2 de dezembro e 6 de janeiro, contempla atividades alusivas ao Natal centradas na figura do presépio.

Nesse sentido, decorre uma exposição 1.500 de presépios, de várias dezenas de artesãos e construídos com diferentes materiais, desde barro, pedra, metal, pintura, cortiça, pele ou cestaria, estando também prevista para 06 de janeiro uma concentração de três mil Reis Magos, com a participação de crianças dos jardins de infância e escolas do primeiro ciclo do concelho. Ambas as atividades são consideradas pela organização como as maiores do mundo.

Durante os 20 dias, as crianças vão poder usufruir de diversas atividades em vários espaços da vila, desde teatros, pista de gelo natural, zona de insufláveis e animações e Fábrica do Presépio, onde decorrem ateliês, interligadas por um comboio turístico.

O programa contempla ainda um mercado, lançamento de uma coletânea de contos e poemas de natal (4 de dezembro), visitas guiadas ao presépio, concertos e presépios ao vivo.

A 5 de janeiro, o programa tem previsto a visualização de um documentário e roteiro turístico aos locais sobre as tradições do "Pintar e Cantar dos Reis" no concelho, que a Câmara quer candidatar a património nacional e da UNESCO.

A 18 de dezembro, são esperados 1.200 participantes numa prova de caminhada e trail, entre os 12 e os 22 quilómetros.

Por ser um programa estratégico para atrair turistas à vila, o município reforçou este ano o investimento em 75 mil euros e espera 25 mil visitantes.

Monsaraz "vive" Natal com tradicional presépio de rua

Monsaraz
créditos: Divulgação/ CM Reguengos de Monsaraz

Com 46 figuras em tamanho real, o tradicional presépio de rua de Monsaraz vai animar o Natal nesta vila medieval a partir de 1 de dezembro e até 6 de janeiro.

Concebido pela escultora Teresa Martins, há 17 anos, o presépio já faz parte da quadra natalícia em Monsaraz, e este ano, volta a receber os turistas e a “habitar” as ruas da vila medieval, destacou hoje a Câmara de Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora.

A inauguração aconteceu no dia 1 de dezembro junto da Porta da Vila, com a atuação do Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz.

As esculturas produzidas pela artista, lembrou o município, são "feitas em ferro e rede” e “recobertas por panos impermeabilizados de cor crua”.

“Pintadas em tons pastel, rosa velho e lilases, têm as caras e as mãos feitas em cerâmica e estão iluminadas durante a noite, propondo um passeio agradável pelas ruas de Monsaraz”, acrescentou a autarquia.

Moradores e turistas podem passear pela rua “acompanhados” pelas 46 figuras representativas da Natividade, distribuídas pelas principais artérias da vila.

Os Reis Magos, o pastor, os guardas do castelo, o almocreve, a lavadeira ou a fiadeira são alguns destes novos “habitantes”, que se “dirigem” para junto da Virgem Maria, de São José e do Menino Jesus, colocados no Largo do Castelo.

A animação da quadra natalícia em Monsaraz não se resume ao presépio de rua, apesar de este ser um dos destaques do programa "Monsaraz do Natal aos Reis", preparado pela câmara municipal.

Uma mostra de artesanato e de produtos regionais, animação de rua, atuações musicais, atividades para as crianças e teatro de marionetas são outras das iniciativas que vão ter lugar, durante este período.

No dia 17 de dezembro, a Igreja de Nossa Senhora da Lagoa vai ser palco de Cante ao Menino, com a participação do Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, do Grupo de Cavaquinhos e Cantares à Beira, do poeta Manuel Sérgio e do guitarrista José Farinha.

A fechar a programação, a 6 de janeiro, as ruas da vila recebem o Cante aos Reis, com o Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz.

O Natal vai, igualmente, ser celebrado com presépios de rua nas localidades da Freguesia de Corval e da União das Freguesias de Campo e Campinho, para onde estão ainda previstas outras atividades.

Presépio nas Furnas tira partido do vulcanismo nos Açores

Presépio nas Furnas tira partido do vulcanismo nos Açores
créditos: CM Povoação

As Caldeiras das Furnas, nos Açores, servem há mais de 20 anos de cenário a um presépio com centenas de figuras colocadas em redor das fumarolas vulcânicas, e cuja edição deste ano a Câmara da Povoação inaugura na sexta-feira.

“Toda a parte da montagem é feita com muito cuidado. Aliás, já se faz há muito tempo”, afirmou à agência Lusa o vereador da Cultura da Câmara Municipal da Povoação, Rui Melo, acrescentando que “há material que se vai degradando com o tempo” devido ao vapor das fumarolas, pelo que tem de haver “substituição atempadamente”.

A instalação do presépio das Caldeiras das Furnas partiu, inicialmente, de um grupo de jovens.

Mais tarde, a responsabilidade transitou para o município, que, ano após ano, faz do presépio local de visita obrigatória para residentes e turistas na quadra de Natal.

Rui Melo adiantou que o presépio chegou a ter mais de mil figuras pintadas à mão em ‘platex’, mas “agora são centenas”, sem conseguir precisar o seu número, estando dispersas e iluminadas em redor das caldeiras.

Por isso, embora o local seja procurado durante o dia, é à noite, quando a iluminação cénica se acende, que o espaço dá ao visitante a imagem de um presépio gigante.

Segundo o vereador, “a questão da segurança está salvaguardada”, explicando que são “homens experientes” que fazem a montagem do presépio e da iluminação elétrica em locais onde é proibido ao comum dos visitantes circular devido às temperaturas muito elevadas das caldeiras.

Fernando Costa, natural das Furnas, que lidera pela primeira vez a equipa de sete homens encarregada da montagem do presépio, expressou satisfação pela missão que cumpre com “empenho e responsabilidade”.

“Dá muito trabalho e é perigoso. Tem de se ter muito cuidado e um bocadinho de sensibilidade para trabalhar com estas imagens e colocá-las no terreno”, disse Fernando Costa, habituado desde sempre a ver em todos os natais o presépio das Caldeiras das Furnas.

Para o vereador da Cultura da autarquia da Povoação, na ilha de São Miguel, o presépio difere todos os anos, mas a tradição “é para manter”.

“Há pessoas e famílias que costumam vir todos os anos ver este presépio de características únicas à procura do que está diferente”, declarou, sem revelar o investimento, mas considerando que compensa, uma vez que “as pessoas acabam por jantar e aproveitar o fim de semana” nas Furnas.

A inauguração do presépio, de acesso gratuito, está agendada para 09 de dezembro, pelas 21:00 locais (mais uma hora em Lisboa), permanecendo até 23 de janeiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.