Este núcleo museológico, na baixa da cidade, esteve encerrado porque foi atingido pelas inundações daquele temporal, tendo a área de exposição do museu ficado 90% inundada, o que provocou prejuízos na ordem dos 350 mil euros.

O comunicado hoje divulgado pela autarquia funchalense considera que o número de visitantes nos últimos 12 meses é "a resposta de madeirenses e turistas" e "tem sido um êxito".

Esta é "mais uma validação do reforço da oferta cultural do Funchal, que é uma imagem de marca deste executivo" do município, escreve o presidente da autarquia, Paulo Cafôfo.

O autarca destaca também "o significado de ter sido recuperado um museu absolutamente simbólico da cidade e da História da Madeira", adiantando ser "indispensável que uma cidade preze e valorize os seus núcleos museológicos."

Paulo Cafôfo recorda que "o ciclo do ouro branco é indissociável da identidade da Região e que, ao fim de um ano, a adesão dos locais, das escolas e dos turistas retrata isso mesmo."

A mesma informação salienta que, nestes primeiros 12 meses, depois da sua reabertura, o museu "registou um número de visitantes bastante superior ao número total de visitantes do ano que antecedeu o fecho", apontando que, entre janeiro e dezembro de 2009, o Museu do Açúcar tinha somado 5.223 entradas.

"Desde julho de 2016, o aumento de visitantes verificado foi de 37%, o que traduz bem a dinâmica que foi empregue ao novo espaço", destaca, indicando que este núcleo recebeu mais 1.600 visitantes nacionais e cerca de 3.000 estrangeiros, no último ano.

O projeto de remodelação do Museu A Cidade do Açúcar, da Câmara do Funchal, "apostou na recuperação e reorganização museológica, apresentando ao público uma sala de exposições com um novo design e um espólio de novidades arqueológicas".

O presidente do município sublinha a "ativa colaboração do sistema escolar", o que evidencia que "o propósito da reabertura era o investimento estratégico na comunidade, visando a preservação da memória coletiva".

Conclui que nestes últimos 12 meses, passaram por este museu mais de 2.600 jovens visitantes.

"O Museu A Cidade do Açúcar tem-se assumido como um polo dinamizador da zona histórica da cidade do Funchal", vinca a autarquia funchalense.

A Câmara Municipal do Funchal investiu 111 mil euros na sua recuperação e adaptação, tendo as cerca de 80 peças (30 gravuras e 50 objetos) sido tratadas no núcleo de arqueologia do município

Este museu foi inaugurado inicialmente em 1996, com o objetivo de divulgar a importância da indústria açucareira na história do Funchal e na Madeira, sobretudo entre os séculos XV e XIX, período que é denominado como o "ciclo do ouro branco".

 Fonte: Lusa

Foto: Site Museu A Cidade do Açúcar /Funchal

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.