A gigantesca megametrópole de 20 milhões de habitantes produz entre 13.000 e 15.000 toneladas de lixo por dia, 2.250 delas só de plásticos, segundo dados da empresa local de reciclagem WeCyclers.

Apesar dos esforços oficiais para organizar a recolha de lixo e da presença de pequenas empresas especializadas, a poluição por plástico é um grande problema ambiental e de saúde pública para a cidade mais populosa de África.

As praias caracterizam-se por montanhas de lixo, como em Lighthouse, a maior praia, que é banhada pelas águas do Atlântico, que se estende até ao vizinho Benin ao longo de 100 quilómetros.

Reciclar o plástico

"É hora de sensibilizar as pessoas sobre a necessidade de proteger o meio ambiente, principalmente do plástico", explica à AFP Chioma Chukwura, uma consultora de marketing digital que se protege do sol com um chapéu colorido de aba larga.

No fim do dia, a equipa de voluntários encheu 230 sacos com resíduos plásticos, que aguardam na areia quente a chegada do camião do lixo.

"Uma empresa de reciclagem virá buscá-las", disse à AFP Owoade Yussuf, responsável por este movimento cidadão independente.

"A limpeza das praias melhora a vida das comunidades locais, que poderiam ganhar a vida com o turismo", afirma. "No entanto, para atrair as pessoas para a praia, precisamos de ter uma praia limpa", acrescenta.

A equipa limpou 100 metros de areia, mas ainda há muito para ser feito.

"Seriam precisos dois meses, sem paragens, todos os dias, para limpar esta praia. E temos que encontrar uma forma de evitar que o plástico volte", disse Ebube Nwosu, cientista da computação e voluntário, um pouco desiludido.

Especialistas do grupo de investigação francês Polímeros Oceanos revelaram, em fevereiro, que cerca de 10 milhões de toneladas de plástico acabam nos oceanos do mundo todos os ano e que a sua limpeza já não é possível devido aos custos elevados que a tarefa exigiria.

No entanto, na praia de Lighthouse, o plástico não é o único problema.

Ao longo da costa há enormes carcaças de navios naufragados, abandonados discretamente por armadores sem escrúpulos. Limpar as águas costeiras desses detritos é mais difícil e mais caro.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.