No ano em que se assinalam os 250 anos da morte daquele que é considerado um dos arquitetos mais emblemáticos da Invicta, a Irmandade dos Clérigos está a dinamizar uma série de eventos para homenagear Nicolau Nasoni. O arquiteto italiano desenvolveu em Portugal, no Porto e na região Norte, grande parte da sua obra que tem na Torre dos Clérigos o seu ex-líbris.

Um dos momentos altos destas iniciativas acontecerá neste domingo (9 de julho) e será a confeção de uma enorme pizza com sete metros de diâmetro - o que equivale a cerca de 900 pizzas "normais". A tarefa hercúlea ficará a cargo do mestre pizzaiolo Antonio Mezzero que, tal como Nasoni, encontrou no Porto uma nova casa para desenvolver a sua arte.

A parceria com a Irmandade dos Clérgios já tinha acontecido em 2013, aquando do aniversário de 250 anos da Torre, e tinha sido confecionada uma pizza de cinco metros. "Na altura, a iniciativa criou muito impacto e interesse na população", atraindo cerca de quatro mil pessoas, lembrou António Tavares, diretor-executivo da Irmandade, durante a apresentação à imprensa do evento.

Agora, o desafio é maior, mas Antonio Mezzero sabe que está à altura. Sentado à mesa do seu restaurante em Matosinhos, o chefe que venceu o troféu de melhor pizzaiolo do mundo afirmou que quer "pintar um quadro na cidade" e "deixar algo de mim e do meu país na terra que escolhi para viver".

Porto vai oferecer uma pizza de sete metros à cidade e a Nicolau Nasoni. E nós fomos prová-la
A pizza será uma grande bandeira de Itália créditos: Alice Barcellos

Como se faz uma pizza de sete metros?

A preparação para esta pizza gigante já começou, mas a maioria do trabalho será feito no sábado por uma equipa de dez pessoas e finalizado no domingo, o dia do evento. "A massa vai começar a ser produzida nesta quinta", referiu Mezzero.

Os números falam por si: 90 quilos de tomate, 30 quilos de manjericão, 130 quilos de mozzarella, 300 quilos de farinha e 400 litros de água.

O resultado final será uma pizza com as cores da bandeira de Itália, da qual vimos um modelo em ponto pequeno durante a apresentação do evento.

Depois, esta mega pizza será fatiada e distribuída gratuitamente por quem passar pelo Jardim das Oliveiras, junto à Torre dos Clérigos, no domingo.

Para assegurar que todos possam saborear uma verdadeira pizza napolitana, Mezzero garantiu que os ingredientes serão espalhados de forma harmoniosa por cada uma das cerca de 900 a 1000 porções que vão ser feitas da pizza.

Durante a apresentação do evento, pudemos comprovar o lema de Mezzero, "Passione, Arte e Qualità" (paixão, arte e qualidade), numa pizza muito saborosa, elaborada com ingredientes premium, que nos faz compreender o motivo pelo qual a arte dos pizzaiolos napolitanos foi eleita Património Imaterial da Humanidade pela Unesco.

O presidente do Turismo do Porto e Norte lembrou que estarão, assim, no evento dois patrimónios mundiais, a pizza napolitana e o Centro Histórico do Porto, numa grande festa para a cidade. Este é um evento que junta "cultura, património, arquitetura e animação", afirmou Luís Pedro Martins.

Antonio Mezzero acredita que a "imagem da Torre dos Clérigos com a pizza da bandeira italiana vai correr o mundo". Todo o processo de confeção da pizza de sete metros poderá ser acompanhado através das redes sociais do pizzaiolo.

No domingo, fica a promessa de que "a cidade do Porto vai cheirar a manjericão". Se quiser comprovar, só tem de passar pela Torre dos Clérigos a partir das 12 horas.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.