"Estamos cheios", disse à agência Lusa um dos diretores do grupo Essência do Vinho (EV), Nuno Botelho, sublinhando assim o interesse que este novo evento despertou junto do setor vinícola.

A Essência do Vinho de Verão será o primeiro evento com público organizado pela empresa homónima desde o que teve lugar no Palácio na Bolsa, no Porto, em fevereiro de 2020, um mês antes do estado de emergência decretado pelo governo devido à pandemia.

Nuno Pires, também diretor da mesma empresa, acrescentou que o evento marcado para o Palácio de Cristal, na Avenida das Tílias, terá um perfil "mais descomplicado" do que o da Bolsa, para "apanhar o consumidor em geral, democratizar o consumo e ajudar os produtores a vender os seus vinhos".

"O que estamos a fazer é a aproveitar as dificuldades desta crise pandémica para ganharmos um novo conceito, algo mais aligeirado e que seja uma festa e um novo marco para a animação do Porto", reforçou Nuno Botelho.

Os dois responsáveis ressalvam que o conceito difere do que inspira a Essência do Vinho que se realiza habitualmente no inverno, mas o intuito continua a ser "fazer um evento de muita qualidade e com um posicionamento muito alto".

O preço de entrada será de cinco euros, em vez dos 25 cobrados no evento do Palácio da Bolsa, e "dará direito a um copo e duas degustações", podendo os interessados adquirir provas-extra nos produtores presentes. Também estarão disponíveis quatro restaurantes.

Os organizadores salientam que será preciso "gerir a porta", para deste modo controlar as entradas e cumprir o que a Direção-Geral da Saúde determinar quanto ao número de pessoas que vão poder estar em simultâneo no recinto.

"Os rácios são calculados por eles [DGS] e temos um médico de saúde pública que nos está a acompanhar e a preparar todo o plano de contingência. Iremos cumprir o que eles mandarem", disse Nuno Botelho.

Os "stands" para expor vinhos serão iguais aos do Palácio da Bolsa, "mas com pérgolas, uma visão mais campestre, mesas altas para os visitantes e um ambiente familiar e de convívio", segundo afirmou Nuno Botelho.

O mesmo responsável acredita que "as pessoas, depois da pandemia, querem desfrutar das coisas boas" e na Essência do Vinho de Verão poderão provar e comprar vinhos, "beneficiando de vistas para o rio Douro" e usufruir de um recinto ao ar livre com uma superfície mais de cinco vezes superior à dos corredores e espaços interiores do Palácio da Bolsa.

A data escolhida obedeceu à convicção de que nessa altura muitas pessoas ainda não foram de férias e de que haverá turistas interessados também em usufruir de um evento com "vinhos de todas as regiões portuguesas".

"Este ano ainda não é possível, mas nossa ideia é oferecer nas próximas edições alguma animação, com música e concertos, o que aliás cativou já o interesse da empresa gestora do Palácio de Cristal", segundo disse Nuno Botelho, recordando que no recinto dispõe mesmo de uma concha acústica.

A prova "Top 10 Vinhos Portugueses", que constitui um dos pontos altos das edições anuais da Essência do Vinho, mantém-se e continuará a ser no Palácio da Bolsa, mas nos dias 05 e 06, e júri será composto por jornalistas e críticos nacionais e estrangeiros.

"Achamos que devíamos fazer o "Top 10 Vinhos Portugueses" porque ajuda os produtores a vender os seus vinhos, contribuindo para ter bons resultados comerciais", assinalou Nuno Pires.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.