Uma das mais populares atividades do Nepal é o trekking, caminhada de longa duração que por vezes implica dormir em diversos locais, em abrigos ou tendas. Em certos locais do Nepal, como nas cordilheiras de Annapurna ou no Everest, é necessária uma licença para praticar esta atividade, que é tratada no destino.

“Os meses de março, abril, outubro e novembro são os mais indicados para fazer trekking devido às temperaturas mais suaves e dias mais secos e solarengos que nesta altura se fazem sentir nas zonas altas do Nepal”, explica Tânia Neves, viajante profissional que lidera grupos a este país, na agência de viagens The Wanderlust. Independentemente das condições meteorológicas, esta é uma atividade que acarreta sempre alguma preparação.

Em termos de roupa, são recomendadas peças quentes, respiráveis e confortáveis. “Camadas” é a palavra de ordem. Um casaco de penas (down jacket), camisas de lã merino, gorro, meias de algodão e luvas são indispensáveis. Sugere-se a utilização de botas de montanha com um bom apoio de tornozelo, para evitar lesões, e que também sejam impermeáveis, para manter os pés secos e confortáveis nas longas caminhadas.

Viagem ao Nepal
créditos: Tânia Neves
Viagem ao Nepal
créditos: Tânia Neves

Para além de roupa adequada, é importante não esquecer alguns acessórios. “Os caminhos do Nepal exigem protetor solar 50+, batom do cieiro e óculos de sol polarizados. Uma lanterna, preferencialmente de cabeça, um cantil de água, papel higiénico, um lençol para colocar no saco cama e toalhitas são igualmente itens que não podem ficar de fora quando estamos a preparar a bagagem para esta viagem. Levar medicação, principalmente para prevenção do mal das montanhas, é imperativo”, aponta Tânia Neves.

Tudo isto deve ser colocado numa mochila com, no máximo, 8kgs a 12kgs, dependendo do peso de cada um.

A próxima viagem orientada por Tânia com destino ao Nepal inclui um percurso de trekking pelos Himalaias, durante 5 dias, que passará junto do antigo reino de Mustang, uma zona que esteve fechada ao público até recentemente. O ponto mais alto do trekking será um templo budista-hindu, a 3710m, perto da sauna que fica a maior altitude do mundo, de acordo com o Guinness. Ao longo do percurso serão feitas paragens em checkpoints, locais de segurança, onde existirá água potável.

O início da experiência está marcado para 6 de outubro e termina no dia 20 do mesmo mês. O custo da inscrição é de 1380€ e pode ser feita até dia 22 de agosto. Há lugar para 11 pessoas.

Fonte: The Wanderlust

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.