Nas visitas guiadas gratuitas no Rio de Janeiro é preciso caminhar, mas acho que o que se aprende por lá compensa bem um pequeno esforço físico.

A primeira vez que fiz uma destas visitas guiadas gratuitas foi em 2009 em Berlim. Os miúdos portaram-se lindamente e ainda hoje se lembram da “caminhada com histórias” que fizemos nesse dia com um enorme grupo de participantes de várias nacionalidades (tinha até outros portugueses).

Depois fiquei a saber que este formato de visitas guiadas gratuitas existe em muitas capitais europeias e que é uma excelente solução para se ficar a conhecer melhor e aproveitar um pouquinho mais das cidades. Os guias são habitantes locais ou pessoas que realmente conhecem bem as ruas, as dicas, as tradições e depois partilham tudo isso com os participantes.

Estas visitas guiadas gratuitas são então realizadas a pé, não têm um preço tabelado nem sequer inscrições prévias. Apenas uma hora marcada e um ponto de encontro onde os interessados se reúnem de forma espontânea. Depois inicia-se a visita com quem estiver, de uma forma muito informal. No fim, cada um retribui livremente com a gorjeta que quiser ao guia de serviço, porque apesar de serem voluntários, são pessoas com formação em turismo e legalmente capacitadas para o efeito.

A visita que fiz no Rio de Janeiro foi realizada pela “Rio Free Walking Tour”. Reparei que os guias andam identificados e pelo que sei as visitas tiveram início em 2015 com o 450º aniversário da cidade. Naquela manhã, o José foi o guia e um grupo de brasileiros, os companheiros de passeio.

Visita guiada no Rio de Janeiro
créditos: Viajar em Família

A experiência revelou-se bem interessante e enriquecedora. Fomos a lugares incríveis, aprendemos curiosidades divertidas e conhecemos pessoas que de outra forma muito possivelmente não teríamos acesso.

O roteiro tem o nome de Porto Maravilha. É recente e durante cerca de duas horas levou-nos a percorrer parte da Zona Portuária com muitas histórias dos navios negreiros, o Cais da Imperatriz, o Jardim Suspenso do Valongo, a Pedra do Sal (samba) e o Museu de Arte do Rio.

Estas rotas, como alguém disse são “verdadeiras aulas de carioquice a céu aberto”, pois revelam circuitos alternativos ao turístico tradicional, sob novos ângulos e perspectivas.

Conseguimos mesmo sentir e ver de perto algumas informações históricas e transformações desde a colonização portuguesa até à actualidade.

O Zé (o guia que gosta de ser tratado assim) mostrou sempre um extremo cuidado por adaptar as condições meteorológicas e do terreno às necessidades do grupo (havia uma bebé de colo).

Visita guiada no Rio de Janeiro
créditos: Viajar em Família

E isso sensibilizou-me pois entendi como estas visitas guiadas gratuitas são personalizáveis ou concebidas para qualquer um aproveitar, seja em casal, com um grupo de amigos ou em família, sendo realizadas com muita seriedade e profissionalismo apesar do ambiente descontraído.

No Rio Free Walking Tour, existem guias que fazem visitas em inglês, outros em português e são inconfundíveis na paisagem da cidade, pois usam camisola e chapéus amarelos, faça chuva ou faça sol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.