Se anda a adiar a viagem da sua vida porque não tem tempo livre nem dinheiro que chegue, está na altura de começar a repensar o conceito que tem de viajar. Fazer uma viagem não é apenas ir de férias, explorar uma cidade durante uns dias ou ficar de papo para o ar num resort. Também adoramos estas viagens, mas existem outras formas de conhecer o mundo.

Se é um espírito livre e anseia por novas aventuras, estas maneiras inusitadas de viajar podem ser ideais para si:

Aprender tudo sobre agricultura orgânica

Através do programa WWOOF é possível conhecer propriedades agrícolas orgânicas um pouco por todo o mundo. O viajante que entre nesta rede internacional terá direito a alojamento e alimentação, em troca da mão-de-obra. Ou seja, terá de dar uma ajuda nos trabalhos da quinta em questão durante quatro a seis horas por dia, o que vai também permitir uma aprendizagem sobre um estilo de vida cada vez mais procurado. Portugal faz parte da rede WWOOF.

Ensinar a sua língua mãe

Existem vários programas de intercâmbio que permitem o ensino de uma língua e uma cultura num país estrangeiro. Em Portugal, por exemplo, o programa SPEAK promove a partilha de conhecimentos em seis cidades portuguesas e conta com mais de 6 mil membros que representam 120 países. Uma vantagem deste programa: não é preciso ter formação específica para integrar a rede de professores voluntários do SPEAK.

Fazer uma viagem de circum-navegação

Foi um navegador português que realizou a primeira volta ao mundo pelo mar. Fernão de Magalhães ficou para sempre conhecido como o primeiro a fazer uma viagem de circum-navegação e, hoje em dia, é possível viver esta experiência através do programa Semester at Sea. Durante 100 dias estudantes de vários países embarcam para aquela que poderá ser a viagem das suas vidas: a sala de aula é num navio de cruzeiro, os colegas de turma são de várias nacionalidades e o mundo é o objeto de estudo.

Participar numa expedição científica

Estar ao lado de cientistas e investigadores numa viagem que, acima de tudo, quer estudar, compreender e ajudar a salvar o nosso planeta. É possível participar em expedições científicas nas mais variadas áreas. No site do EarthWatch Institute existem algumas possibilidades, embora estas já exijam algum investimento por parte do viajante.

Ser voluntário

Há um mundo de possibilidades quando se fala de voluntariado e as viagens fazem parte dele. É possível viajar e fazer trabalho voluntário em vários países. No projeto Go Abroad pode encontrar muitas oportunidades.

Viajar à boleia

Mais do que uma forma de poupar dinheiro, viajar à boleia é uma maneira de conhecer o mundo que implica paciência e tempo, mas que permite fazer uma imersão na cultura de cada país por onde se passa e ter a certeza de que a bondade ainda é uma constante, independentemente de onde se está. Não é para qualquer um, mas é possível, que o digam os portugueses Tiago Fidalgo e Joana Oliveira.

Tomar conta de crianças

Existem vários programas específicos para cuidar de crianças e ajudar os mais novos. Tanto podem ser em situações onde as crianças são menos favorecidas, como podem ser em famílias que procuram um viajante em regime de babysitting, que possa ensinar uma nova língua e uma nova cultura aos seus filhos.

Ser viajante profissional

Há cada vez mais viajantes que tentam rentabilizar as suas viagens de forma a que possam fazer disso uma profissão. Se já se considera um viajante experiente e gosta de escrever, filmar ou fotografar as suas aventuras, porque não criar um blogue e começar a pensar em maneiras de rentabilizar os seus conteúdos sobre viagens através, por exemplo, do trabalho com marcas, publicações especializadas ou empresas do setor?

*Artigo atualizado. Publicado originalmente a 17 novembro de 2016


Conhece outras formas criativas de viajar? Partilhe connosco no espaço de comentários.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.