Começou por se chamar ilha de Jesus Cristo, mas acabou por receber o nome atual por ter sido a terceira ilha descoberta pelos navegadores portugueses no final de 1420. No extremo leste do grupo central, a Terceira é o destino perfeito para os amantes da natureza e da história. Eis algumas sugestões que não devem escapar no seu roteiro.

Praia da Vitória

Terceira: natureza e história para umas férias inesquecíveis
créditos: GTPV/CC BY-SA 4.0

Este é o nome de uma das cidades, mas também de uma zona balnear aí situada. Com o maior areal da ilha, a praia da Vitória consegue, apesar da sua localização central, oferecer algumas zonas tranquilas. Para além de um convidativo mergulho, vale a pena aproveitar as excelentes condições da baía e praticar desportos náuticos como a vela, o windsurf ou o esqui aquático. É também daqui que partem excursões de barco a ter em conta nas férias, quer seja para pescar, fazer mergulho ou observar as baleias.

Piscinas naturais dos Biscoitos e da Silveira

Terceira: natureza e história para umas férias inesquecíveis
créditos: GTPV/CC BY-SA 4.0

Na costa nordeste da ilha, na freguesia dos Biscoitos, a zona balnear homónima é uma das mais famosas da Terceira. Resultado da atividade vulcânica, estas piscinas foram as primeiras da ilha a ser adaptadas ao uso humano em 1969. A dois passos das afamadas vinhas da freguesia, oferecem águas limpas e cristalinas que conquistam tanto locais como turistas. Já no centro de Angra do Heroísmo esperam por si as piscinas naturais da Silveira, também conhecidas como praia, cais ou zona balnear da Silveira. Antigo porto de pesca, oferecem uma série de infraestruturas a pensar nos visitantes para um dia muito bem passado.

Algar do Carvão

Terceira: natureza e história para umas férias inesquecíveis
créditos: Luissilveira/DP

Siga até Porto Judeu, a norte de Angra do Heroísmo e prepare-se para uma viagem ao centro da Terra. Formada há mais de três mil anos, esta chaminé vulcânica com 90 metros de profundidade recebe hoje não apenas geólogos e outros cientistas, mas também muitos visitantes. A primeira descida aconteceu em 1893 e a abertura ao público já no século XX, em 1966. Durante a excursão organizada, o destaque vai para, entre outras formações, as estalactites de silício e ainda para um lago subterrâneo alimentado por água das chuvas, no qual o enxofre marca presença.

Um pequeno paraíso para mergulhadores

Terceira: natureza e história para umas férias inesquecíveis
créditos: José Luís Ávila Silveira/Pedro Noronha e Costa/DP

A Terceira oferece variados locais que fazem todos os anos as delícias de praticantes de mergulho vindos dos quatro cantos do mundo. Um deles é as Arcadas do Judeu, conhecido pela sua acessibilidade a mergulhadores com qualquer tipo de experiência. A fama deste spot localizado junto ao Porto Judeu advém ainda das suas formações rochosas e paisagem de cortar a respiração. A incluir na rota do mergulho é também a Gruta do Ilhéu das Cabras. Com 24 metros de profundidade, acolhe desde iniciados a profissionais, apresentando uma grande variedade de espécies, com destaque para as bicudas, os lírios ou as anchovas. A ter em conta é ainda a Baixa da Vila Nova. Este é um local indicado para mergulhadores mais experientes. Avistam-se aqui, entre os 12 e os 30 metros de profundidade, peixes pelágicos, chicharros ou peixes-rainha. Perfeito para fotografia subaquática é Fradinhos. Mas aqui todo o cuidado é pouco devido à distância da costa e às correntes, sendo por isso aconselhado apenas a mergulhadores com experiência.

Centro Histórico de Angra do Heroísmo

Terceira: natureza e história para umas férias inesquecíveis
créditos: Tuga1143/CC BY-SA 4.0

A capital da Terceira é rica em história e histórias. Aqui encontraram refúgio Almeida Garrett e a rainha D. Maria II, mas nem só de figuras nacionais viveu a ilha. Charles Darwin também por aqui passou a bordo do HMS Beagle, em 1836. Foi da Terceira que partiu rumo a São Miguel, não sem antes fazer um passeio a cavalo pela ilha. O cientista afirmou que não encontrara nada de interesse para o seu estudo, só que acabou por reconhecer o erro e pedir que lhe enviassem espécimes da flora endémica da Macronésia e amostras geológicas.

Mais recentemente, em 1983, a UNESCO considerou o centro histórico de Angra do Heroísmo Património Mundial, graças ao seu traçado e organização urbanística e ao legado histórico. Uma visita a esta zona da cidade inclui uma série de paragens, entre as quais o Museu de Angra do Heroísmo situado no antigo Convento de São Francisco, onde encontra coleções náuticas, militares e de belas-artes. Siga depois para a Igreja de Nossa Senhora da Guia, onde está sepultado o irmão mais velho de Vasco da Gama, que aqui faleceu no regresso da primeira viagem à Índia em 1499. Ainda no centro histórico, vale a pena visitar a Sé de Angra do Heroísmo, também conhecida como Igreja do Santíssimo Salvador da Sé. Concluída em 1618, destaca-se pelos seus painéis do século XVI e o altar do século XVIII.

Terceira: natureza e história para umas férias inesquecíveis
créditos: Tuga1143/CC BY-SA 4.0

No alto de uma pequena colina encontra o Forte de São Sebastião, a primeira grande fortificação marítima da cidade. Foi vital na defesa dos Açores dos ataques de piratas e corsários, albergando hoje uma pousada.

Continue pelo centro histórico e fique a conhecer o Obelisco do Alto da Memória, imponente monumento localizado no topo do Jardim Duque da Terceira. Construído com as pedras do antigo castelo dos Moinhos, foi erigido em 1856, em homenagem à passagem de D. Pedro IV pela ilha, no período da Guerra Civil Portuguesa. A primeira pedra para a sua construção foi uma das que o imperador havia pisado quando desembarcou em 1832. Tire a máquina fotográfica da mochila, que o obelisco vale bem os cliques e a vista sobre a cidade também.

Consulte a agenda, encontre uns dias livres e reserve já o seu voo para a Terceira com a TAP. Natureza e história cruzam-se nesta ilha fascinante e recheada de segredos que vai mesmo querer desvendar.

Terceira ida desde 67€