Serra da Porra

Começamos pela Serra da Porra que nos é detalhada por Honorato Neves um apaixonado e profundo conhecedor da etnografia da região.

Serras da Porra e das Mesas
Serra da Porra créditos: Who Trips

Estamos no alto da Meimoa, num miradouro, virados para uma elevação em forma de cone que está em frente.

Meimoa
Honorato Neves créditos: Who Trips

Na memória de Honorato Neves desde pequeno que sempre ouviu chamar Serra da Porra. “Não se sabe a origem mas é o nome que o povo lhe dá. Na cartografia está como Serra do Porrete”.
A vista do miradouro alcança mais elevações. A Malcata enche o horizonte com montes muito altos e a Serra da Porra é vizinha da Meimoa “e parte integra a Reserva Natural da Serra da Malcata.”

Serras da Porra e das Mesas
Miradouro para a serra da Porra créditos: Who Trips

No passado, não muito distante, o verde dos pinhais não era tão dominante devido ao cultivo de cereais. “A serra era toda cultivada até ao talefe que está no alto. Predominavam o centeio. Toda a gente lavrava.
O outro aproveitamento era do mato para o Ti Zé Pequeno fazer carvão para as braseiras.  Era o chamado borralho. Ainda hoje chamam à família dele “os borralhos”.
Outra alteração que Honorato Neves refere é a modificações dos cursos de água. Nas visitas frequentes que faz à serra diz que a mudança é muito grande e deveu-se à introdução de novas culturas.

Serra das Mesas

Serras da Porra e das Mesas
Serra das Mesas créditos: Who Trips

Na Serra das Mesas a água é também um elemento natural relevante porque é onde nasce o rio Côa. A nascente está referenciada a mais de 1.200 metros de altura, no alto de uma encosta granítica.

Nascenteo do Côa
Serras das Mesas, nascente do Côa créditos: Who Trips

O fio de água, que depois só voltamos a ver próximo de Foios, está mesmo ao lado das “mesas”.
São pedaços de granito com forma cúbica e com brechas entre eles com mais de um metro de altura e que lhes dá uma forma parecida com uma mesa.

Serras da Porra e das Mesas
créditos: Who Trips

Mais ainda porque a parte superior é muito lisa, devido à erosão e assemelham-se ao tampo das mesas.
Aqui encontra excertos de um estudo sobre a morfologia granítica na Serra das Mesas e contributos de Victor Clamote para uma melhor perceção da Serra das Mesas.

Serras da Porra e das Mesas
Vista para Foios créditos: Who Trips

Do alto da serra vê-se Foios e logo ali ao lado está Navasfrias,  no lado espanhol. A serra das Mesas funcionava como ponto de observação para os contrabandistas.

Serras da Porra e das Mesas
créditos: Who Trips

Era ali que às escondidas juntavam o café para o carrego durante a noite. José Maria fez contrabando desde miúdo e “várias vezes ao dia cada um levava cinco quilos de cada até à Serra das Mesas.

Serras da Porra e das Mesas
José Maria créditos: Who Trips

Ao anoitecer escondíamos o café debaixo de uma lata e durante a noite partíamos com o carrego.”

Serras da Porra e das Mesas
créditos: Who Trips

Hoje, como diz José Leal, que também vive em Foios, “os caminhos do contrabando para a serra das Mesas são os trilhos para caminhadas que terminam em convívio, com uma merenda na serra”.

As serras vizinhas da Porra e das Mesas faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.