O percurso, designado "Por Montes e Vales" teve a promoção suspensa depois dos incêndios de 2016, tendo depois a câmara municipal desenvolvido um projeto requalificação do percurso, que incluiu, entre outras intervenções, a remarcação de todo o traçado e a substituição de sinalética.

"O pedestrianismo é uma atividade com um número de praticantes muito elevado e, com o relançamento deste percurso, que é a única grande rota disponível no geoparque de Arouca, reforçamos a nossa oferta turística, sobretudo junto dos amantes do turismo de natureza", declarou à Lusa a presidente da autarquia, Margarida Belém.

Com início e fim na vila de Arouca, junto ao Museu Municipal, este trilho circular, com 90 quilómetros de extensão, desenha-se pelo vale de Arouca, Paivó e Paiva, a serra da Freita, passando ainda pelo Museu das Trilobites Gigantes - Centro de Interpretação Geológica de Canelas e pelo santuário da Sr.ª da Mó. O nível de dificuldade é médio e o percurso pode ser realizado durante todo o ano.

Ao longo desse trajecto, os caminhantes podem encontrar vários geossítios classificados, aldeias de montanha habitadas e abandonadas, cursos de água, cumeadas com vistas panorâmicas, vias romanas e antigas minas de volfrâmio, assim como ligações a outros trilhos da rede municipal de percursos pedestres do Arouca Geopark.

Esta rede é composta por mais 14 trilhos de pequena rota, ou seja, com uma extensão inferior a 30 quilómetros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.