A pandemia colocou o carrinho de compras no centro das atenções. Mais especificamente, o conteúdo do carrinho. A compra de papel higiénico tornou-se um meme em 2020 e a tendência de fazer pão caseiro levou a que a farinha se tornasse uma mercadoria rara durante algumas semanas.

No entanto, enquanto isso, 2,37 bilhões de pessoas - um em cada três humanos - sofriam de insegurança alimentar, incapazes de ter uma dieta balanceada e nutritiva, com os preços a aumentarem em vários países do mundo.

Sabendo da importância do preço dos mantimentos essenciais, assim como a forma como esse custo se relaciona com os rendimentos, o site NetCredit elaborou uma lista de compras de alimentos básicos e pesquisou quanto custaria para comprar em supermercados ao redor do mundo, além de acessibilidade em comparação com os salários locais. E fizeram o mesmo com uma lista de compras vegan.

O estudo da NetCredit começou por encontrar um supermercado com loja online para cada país. Quando não era possível encontrar uma loja online, o país era removido da lista. As listas de compras contam com 10 itens essenciais (uma delas com itens tradicionais e outra adaptada a uma dieta vegan).

A lista tradicional contava com: cereais de pequeno almoço, uma dúzia de ovos, peito de frango, queijo, óleo vegetal, pão, leite, batata, tomate, banana, atum enlatado e água. A lista vegan contava com: grão, hambúrgueres vegan, queijo vegan, óleo de coco, pão, leite de soja, batata, tomate, banana, arroz integral e água.

A Suíça tem os produtos regulares essenciais mais caros do mundo enquanto, no que diz respeito aos produtos vegan, são os Emirados Árabes Unidos que levam o título de país mais caro. Os Estados Unidos têm os produtos básicos regulares e vegan mais acessíveis do mundo.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.