Situado na África Oriental, esta verdadeira pérola da natureza promete diversidade aos visitantes a nível cultural e na sua flora. Conhecido como o berço do Nilo, uma das grandes razões que leva a maior parte dos turistas ao país é a possibilidade de observar de perto os gorilas de montanha, um ícone do país presente como símbolo nas notas da moeda local. Mas se isso não chega, talvez as savanas, florestas infindáveis, selvas e densos bosques, onde poderá aproveitar para fazer um safari o ajudem a decidir. Devido à precipitação constante, a paisagem é verde por todo o lado, criando um cenário único e mágico em plena África.

Culturalmente, o Uganda é composto por várias tribos, entre elas, a Bakonjo-Bamba, Batooro e Banyoro. São um povo muito tradicional, mestres no artesanato e donos de uma riqueza musical e danças únicas. Quanto ao património mundial do Uganda, a lista de locais a não perder engloba os Montes Ruwenzori, o Parque Nacional Impenetrável de Bwindi e os Túmulos dos Reis do Buganda em Kasubi. Faça um passeio de canoa pelo Lago Bunyonyi ou uma breve tour pela capital Kampala. Aqui, porém, os pontos de interesse resumem-se à Mesquita Nacional, um templo hindu, o Museu do Uganda e o Palácio Mengo.

E, acima de tudo, são hospitaleiros. Quem visita o país descreve um povo simpático afável, sempre com um sorriso na cara e prontos a ajudar. É um dos prazeres passear pelas cidades livremente, andando nos transportes públicos, visitando os mercados locais e circulando no meio da população em segurança.

Se quer visitar o Uganda, a melhor altura é na época seca, nos meses de janeiro a março e entre junho e dezembro. Isto é especialmente importante se pretende visitar os animais, pois será mais fácil encontrá-los junto às reservas de água nesta altura.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.