Inicialmente Hollywood era uma localidade independente mas em 1910 foi anexada à cidade de Los Angeles. Por essa altura teve início um boom ligado à indústria do cinema. Desde logo pelo facto de algumas produtoras trabalharem com equipamento para o qual não tinham licença, o que tornava Los Angeles um lugar mais seguro por oposição a Nova Iorque. Depois, o clima da Califórnia era muito mais favorável às filmagens e Los Angeles ficava muito próximo do México.

Em 1920 Hollywood era o centro da indústria do cinema dos Estados Unidos. Vinte anos depois começaram a chegar as estações de rádio e televisão e logo depois os estúdios de música. Atrás de trabalho vieram atores, músicos, artistas, celebridades e assim se foi construindo uma comunidade que se foi alojando nos elegantes e sofisticados edifícios que hoje marcam a paisagem de Hollywood. Nas próximas linhas damos-lhe a conhecer alguns dos locais mais emblemáticos deste distrito de Los Angeles.

O famoso sinal de Hollywood

Hoje em dia é uma imagem mundialmente conhecida mas em 1923 quando foi colocado em Mount Lee, nas montanhas de Santa Mónica, ostentava a palavra “Hollywoodland” já que havia sido concebido para fazer publicidade a uma empresa imobiliária com esse nome. As letras com 15 metros de altura cada uma, tiveram de ser transportadas por mulas, mas o complicado processo valeu a pena, já que o sucesso foi enorme, principalmente à noite quando as letras ficavam iluminadas pelas mais de 4 mil luzes.

Hollywood
créditos: Thomas Wolf - CC BY-SA-3.0

A publicidade era para ser temporária mas como coincidiu com a era dourada do cinema de Hollywood, o sinal tornou-se um símbolo da indústria e por isso, foi ficando. No entanto, com a Grande Depressão, a imobiliária faliu e o sinal foi-se degradando com o passar dos anos. Mas, em 1949, a Câmara do Comércio decidiu recuperar o sinal retirando-lhe as últimas letras para que ficasse apenas Hollywood e refletisse não a empresa imobiliária mas sim, o distrito da cidade de Los Angeles. Hoje em dia, é uma das imagens de marca de Hollywood.

Passeio da Fama

A ideia de criar o Passeio da Fama de Hollywood surgiu por parte do presidente da Câmara do Comércio E. M. Stuart. Para concretizar o projeto foram criados quatro comités representativos de diferentes áreas do entretenimento, que deveriam selecionar os nomes das figuras mais proeminentes em cada uma das áreas. Assim, o Passeio da Fama começou a ser construído em 1960 e a primeira estrela a figurar no pavimento pertence ao realizador e produtor Stanley Kramer.

Passeio da fama
créditos: Diliff - CC BY-SA-3.0

Muitos outros nomes lhe sucederam, mas foi necessário criar uma série de regras para determinar as personalidades com as qualificações necessárias para fazer parte deste passeio, a fim de assegurar que no futuro haverá espaço para todos os que são dignos de fazer parte do mesmo. Todos os anos, são inscritos novos nomes entre atores, músicos, realizadores, produtores e muitos outros. Por isso não é de espantar que se veja tanta gente de olhos postos no chão procurando ler os nomes que ali estão eternizados.

Dolby Theatre

É neste teatro que tem lugar a noite mais importante do cinema norte-americano, a cerimónia de entrega dos Óscares! O edifício em Arte Deco, mesmo ao pé do Hollywood Roosevelt Hotel, onde decorreu a primeira cerimónia dos Óscares, foi concebido precisamente a pensar neste evento. No seu interior há uma série de lugares propositadamente pensados para os nomeados e que permitem aos vencedores chegarem facilmente ao palco e há também o chamado “passeio dos vencedores”, que conduz os galardoados do palco até a uma sala de imprensa para entrevistas após a vitória. No resto do ano não há passadeira vermelha, nem celebridades, mas há concertos, espetáculos, emissões de televisão ao vivo e muitos outros eventos.

Dolby Theatre
créditos: Jullit31 CC BY-SA 2.0

Museu de Hollywood

Neste museu vai poder ver várias peças de guarda roupa, adereços, posters e memorabilia de muitos filmes conhecidos, incluindo objetos assustadores como a cela e a máscara usadas por Hannibal Lecter em “Silêncio dos Inocentes”. Mas há também outras peças que não sendo tão sinistras são igualmente icónicas, como o moinho vermelho do musical “Moulin Rouge”, as luvas de boxe de “Rocky” interpretado por Silvester Stalone, ou um dos fatos vestidos por Leonardo DiCaprio no filme “Romeu e Julieta”. Há muitos vestidos e adereços usados por estrelas tais como Bette Davis, Ella Fitzgerald, Sophia Loren, Elvis Presley entre muitos outros. Uma visita a este museu permite recordar grandes filmes e magníficas estrelas de cinema.

Grauman’s Chinese Theatre

É o teatro mais famoso de Hollywood e de toda a cidade de Los Angeles, de portas abertas desde 1927. Construído por Sid Grauman, um homem ligado ao showbiz, destaca-se pela sua fachada oriental decorada com diversos elementos provenientes da China. No seu interior encontra-se o famoso “Pátio das Estrelas” onde se podem ver as pegadas, impressões de mãos e assinaturas de mais de 200 celebridades, entre as quais Frank Sinatra, Marilyn Monroe, Sidney Poitier, Tom Hanks, Denzel Washington e muitos outros. É um dos cinemas mais requisitados para estreias de filmes, por isso, em determinadas ocasiões, este é um bom spot para quem anda “à caça” de celebridades!

Sunset Boulevard

É uma das estradas mais famosas do mundo e liga a baixa de Los Angeles à costa banhada pelo Oceano Pacífico, num total de 39 quilómetros. Conhecida por muitos como a “Guitar Row” devido ao grande número de lojas de música, estúdios de gravação e outros negócios relacionados com a música que aqui se estabeleceram ao longo da avenida, é hoje uma imagem de marca da cultura de glamour associada a Hollywood. Uma visita a LA não fica completa sem percorrer esta icónica avenida que tantas vezes serviu de cenário a filmes e videoclips e a melhor forma de o fazer é, claro está, num descapotável com os cabelos ao vento, a fazer lembrar um bom filme de Hollywood!

Se está a pensar visitar Los Angeles, descarregue a app JiTT.travel e tenha o guia completo da cidade disponível no seu telemóvel ou tablet!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.