Trata-se de um templo localizado em Kyoto mais propriamente na montanha Inari, o nome do deus do arroz que representa sucesso na agricultura. Entre os mais de 40 mil santuários a ele dedicados, este surge como o mais antigo e importante.

Nas traseiras do templo, conhecida como Oku-no-in encontra os famosos torri vermelhos, estruturas presentes nos templos relacionados com o xintoísmo. São  compostos por dois pilares tipicamente  em madeira unidos por duas traves horizontais no topo que constituem o tradicional portão japonês. Estes delineiam a entrada ou proximidade de um local sagrado tendo sido colocados pelas pessoas que procuravam ajuda divina para sucesso nos negócios.

Ao todo, os cerca de 10 mil torii formam um túnel de 4 km, num percurso de cerca de 2 horas até ao topo que vale a pena pela paisagem de suspirar que oferece.

Pelo templo é possível ver várias raposas que os xintoístas acreditam ser mensageiras do deus Inari e muitas vezes representadas com uma chave para o celeiro de arroz nas suas bocas. Há quem acredite que que caçam os ratos protegendo assim o arroz. Na entrada do santuário encontrará a fonte de purificação com instruções para que possa seguir o ritual antes de entrar no templo.

Pelo amplo espaço encontra vários locais par oração e algumas estruturas típicas como o Two-storied gate ou o hall de música e dança. Aparte das tradicionais lojas de souveniers. O salão principal é conhecido como Honden ou Main Shrine.

Para chegar a Fushimi Inari-Taisha poderá apanhar o comboio em Kyoto para a estação Inari na linha JR Nara Local. São apenas 5 minutos de viagem e o bilhete ronda os 1.5 dólares. A entrada no templo porém é gratuita. Caso alugue um carro, o parque do templo tem capacidade para 170 visitantes.

Em 2016 foi classificado como “local japonês mais popular entre turistas estrangeiros pelo TripAdvisor.

Por isso, se for ao Japão, não quererá perder este popular santuário.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.