Goa tem muitas facetas. Não é apenas história, não é só a herança portuguesa, a cultura ou as praias, a comida e as festas. É na verdade tudo isso e muito mais. É uma mistura interessante entre o Ocidente e o Oriente.

É claro que eu sou suspeita para falar, visto ter uma forte ligação afetiva a este local - é a terra dos meus pais - mas na minha opinião, Goa é um lugar único.

Devido à colonização portuguesa, que a isolou do resto da Índia durante 450 anos, Goa é diferente do resto do país, mas quando juntamos as igrejas brancas e os azulejos portugueses aos templos coloridos, o peixe fresco ao caril e o clima quente e praias tropicais a épicos pores do sol só podemos sorrir e aproveitar as boas vibrações.

Uma visita a Velha cidade (Old Goa), por exemplo, permite-nos vislumbrar um pouco da história do povo goês.

A região, que já foi capital do estado, reúne catedrais, museus e construções coloniais, sendo reconhecida como Património da Humanidade pela UNESCO.

Goa
créditos: Travellight| H. Borges

A Catedral da Sé (a maior de toda a Ásia), a Igreja de Bom Jesus, onde estão os restos mortais de São Francisco Xavier, e o Museu Arqueológico, com uma estátua em bronze de Camões com “Os Lusíadas” nas mãos, são os pontos mais visitados na parte antiga.

Mas fora da Velha Cidade há muitas mais igrejas que podemos conhecer e visitar.

Goa também é um paraíso para os amantes de praia. Muitas delas, como a praia de Galgibaga, ainda estão praticamente intocadas pelo turismo.

Praia de Galgibaga
Praia de Galgibaga créditos: Travellight| H. Borges

E depois há o inesquecível pôr- do-sol ...

Goa
créditos: Travellight| H. Borges

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.