Os guias de viagem que anunciam a ilha de St Barths não deixam margem para dúvidas: “se é rico e famoso o seu lugar é aqui”. Tudo começou no final dos anos 50, quando o milionário americano David Rockfeller comprou uma península na pequena ilha de St. Barthélemy, nas Caraíbas. Ao saber da transacção imobiliária, o banqueiro parisiense Edmond de Rothschild decidiu também investir na ilha. Desde então, St. Barths nunca mais saiu do mapa de viagem dos mais chiques entre os chiques. É considerado o destino do luxo por excelência. Localizado a 250 km a leste de Porto Rico e mais próximo das Ilhas Virgens, Saint Barthélemy fica imediatamente a sudeste das ilhas de Anguilla e Saint Martin. Está a duas horas de Miami.

Por lá se encontram, alojados nos iates ou nos hotéis de luxo, muitas outras celebridades. Tom Hanks, Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Julianne Moore e o príncipe Alberto do Mónaco, além dos fundadores da Microsoft que são fiéis clientes.

Apesar de ser uma ilha sem árvores de grande porte, sem cascatas ou paisagens de cortar a respiração, os milhares de pequenos arbustos, os catos, as palmeiras e, sobretudo, a sua estrutura geográfica, formam um sem-número de baías e locais quase secretos, fazendo de cada praia uma pequena e serena descoberta.

A ilha parece ter roubado um pouco do charme das praias francesas, mas também não é difícil perceber algumas características da Suécia, dona do território durante o século XVIII. Com apenas 24 km quadrados e pouco mais de 8 mil habitantes, St. Barths está livre de impostos e tem as lojas das marcas mais as exclusivas, como a Prada ou a Armani. Porque visitar a ilha significa provar um pouco desse estilo de vida luxuoso. As casas glamourosas na parte alta da ilha, as favoritas das estrelas, garantem uma vista incrível.

Esta ilha não é para quem quer: é para quem pode.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.