O fenómeno da superlua acontece quando a Lua se encontra simultaneamente em fase de Lua cheia e a uma distância da Terra inferior a 110% do perigeu - o ponto da órbita em que o satélite natural se encontra mais próximo da Terra.

Habitualmente a Lua encontra-se a uma distância da Terra de cerca de 384.400 quilómetros, mas durante esta superlua, o perigeu lunar ficou reduzido a cerca de 357.378 quilómetros.

Desta forma, ao aproximar-se da órbita terrestre, a Lua parece maior do que o habitual, criando assim a falsa ilusão de uma Lua aumentada.

Este fenómeno, que voltou a atingir o seu auge na madrugada desta sexta-feira, dia 12 de agosto, foi observado um pouco por todo o mundo, tendo sido captadas belas imagens da Superlua, denominada desta vez de 'esturjão'. O nome deve-se à coincidência com a época em que este peixe surge em bastante quantidade nos Grandes Lagos da América do Norte.

Se a superlua ontem lhe passou despercebida, não se preocupe, hoje ainda vai a tempo de a observar as imagens. Abra a fotogaleria abaixo e veja as imagens hipnotizantes desta "gigante" lua cheia que pôs todo o mundo a olhar para o céu.

A última Superlua do ano ocorre em simultâneo com a chuva de estrelas cadentes, prevista para a noite desta sexta-feira para sábado.

A aproximação do planeta Terra do rasto de detritos do cometa Swift-Tuttle fará com que haja a chuva de meteoros Perseidas. A luz da lua cheia vai interferir neste fenómeno cósmico, iluminando assim os fracos meteoros, podendo ser vistos a olho nu se as condições climatéricas ajudarem.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.