"Mesmo a imaginar uma solução rápida para a crise de saúde na Itália, o efeito da pandemia no mercado internacional e a confiança dos viajantes vão fazer acabar o ano com uma redução de mais de 260 milhões de visitas (-60%) em relação ao ano passado", afirma o sindicato num comunicado online.

"O turismo italiano vai acabar o ano de 2020 com cerca de 172 milhões de visitas: um nível que registávamos na metade dos anos 1960, quando o mundo estava dividido em blocos (com a Guerra Fria) e quando as viagens de avião eram um luxo que poucas pessoas podiam se permitir", continua a Assoturismo.

O sindicato espera que haja "um retorno progressivo à normalidade em maio, mas não para o turismo".

"Podemos supor legitimamente que as fronteiras e as conexões internacionais permanecerão bloqueadas enquanto a pandemia não recuar pelo menos nos principais mercados turísticos estrangeiros, que podem recuperar-se, na melhor das hipóteses, somente a partir de 2021", estima.

A pandemia de Covid-19 provocou mais 427 mortes em Itália nas últimas 24 horas. Número de mortes no país já ultrapassou os três milhares e os números da China, estando confirmadas 3.405 vítimas mortais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.