À frente de Carlos, as ruínas de Vilar, uma antiga aldeia de pedra que foi engolida pelo rio após a construção de uma grande albufeira há cerca de 70 anos, reapareceram há várias semanas devido aos baixos níveis de água.

A cena alarma os moradores da região, que já foi atingida pelos incêndios de 2017, que deixaram mais de cem mortos.

Seca em pleno inverno: assim está Portugal e Espanha
Carlos Perdigão. Foto: Patrícia de Melo Moreira|AFP créditos: AFP or licensors

Portugal e Espanha estão a ser afetados este inverno por uma extrema aridez devido à falta de chuva em janeiro, que foi o segundo janeiro mais seco desde 2000 na Península Ibérica, segundo as agências meteorológicas dos dois países.

Esta seca é excepcional “pela sua intensidade, amplitude e duração”, indica Ricardo Deus, climatologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em Espanha, “em janeiro, choveu um quarto do que deveria ter chovido neste período”, explica Rubén del Campo, porta-voz da AEMET, agência meteorológica espanhola, à AFPTV.

Preocupação em agricultores e pecuários

A situação já levou o governo a tomar medidas de emergência, afinal,  30% da energia que consumimos é de origem hidráulica. Este mês, as autoridades foram obrigadas a anunciar a suspensão da produção hidroelétrica em cinco barragens para "preservar os volumes necessários ao abastecimento público".

Do outro lado da fronteira, o ministro espanhol da Agricultura, Luis Planas, manifestou na passada quarta-feira a sua "preocupação" e garantiu que o governo vai tomar "as medidas necessárias consoante a evolução da situação".

Aldeias portuguesas que a seca está a trazer "à tona"
Aldeias portuguesas que a seca está a trazer "à tona"
Ver artigo

Os níveis de reservas de água, essenciais para a agricultura, estão atualmente inferiores a 45% da sua capacidade em Espanha, segundo dados oficiais. As regiões mais afetadas são Andaluzia (sul) e Catalunha (nordeste).

Esta falta de chuva alerta os agricultores e produtores de toda a península.

Com o aquecimento global, a intensidade e a frequência dos episódios de seca, que ameaçam a segurança alimentar da população, correm o risco de aumentar, mesmo que o mundo consiga limitar o aumento das temperaturas a +1,5°C em relação ao período pré-industrial.

A situação não deverá melhorar nos próximos dias em Portugal e em Espanha, onde as previsões meteorológicas mostram chuvas abaixo da média esperada para este período do ano.

Na passada quinta-feira, o governo anunciou que vai reforçar a cooperação com a Espanha para combater a seca na península.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.