Foto: @oleirosaltaneiro| Instagram

Em comunicado hoje divulgado, o município de Oleiros, no distrito de Castelo Branco, explicou que o projeto “Arte à porta” conta atualmente com um conjunto de 36 intervenções artísticas na zona histórica da vila, às quais se juntam dois murais.

“Rosa Afonso e Rosário Bello são as artistas que assinam estas duas produções elaboradas na fase da pandemia e que ampliam o denominado roteiro ‘Arte à porta’”, lê-se na nota.

Rosa Afonso, artista com ateliê em Oleiros há 32 anos, estudou a vida do jesuíta oleirense que ficou na história como o primeiro europeu a chegar ao Tibete, em 1664, para realizar a sua obra.

“O astrolábio, talvez o instrumento mais importante da expedição, acompanha o mural que tem uma forma fora do comum, representando duas montanhas alusivas às dificuldades de relevo dos três meses de viagem até chegar a Chaparangue (Tibete)”.

A obra pode ser vista na subida para a Igreja Matriz de Oleiros, numa parede de xisto.

À entrada do edifício das Devesas Altas, encontra-se o outro mural com a assinatura de Rosário Bello, que integra esta "galeria de arte ao ar livre".

Nesta obra, a artista desenhou vários elementos ligados à identidade e histórias do concelho, como as ribeiras, a agricultura, o lenhador, as uvas do vinho ‘Callum’, os potes de barro e a ponte, entre outros.

Para além destes dois murais, na traseira da Igreja Matriz de Oleiros está representada a padroeira da vila, Nossa Senhora da Conceição, num trabalho assinado por Odeith, ‘graffiter’ português internacionalmente premiado.

+ Aproveite para descobrir Oleiros através deste roteiro de dois

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.