O parque de diversões, localizado na maior cidade da China, é o primeiro no mundo a voltar a abrir as portas desde o início da pandemia, com consequências económicas significativas para o grupo de entretenimento americano.

À medida em que a propagação do coronavírus diminui na China nas últimas semanas, o país começou a reabrir algumas atrações turísticas, como a Grande Muralha ou a Cidade Proibida em Pequim.

No Shanghai Disneyland Park, os visitantes devem usar máscara e apresentar a cor verde numa aplicação que deve estar instalada no telemóvel para provar que não estão infetados e que podem entrar.

O regresso da atividade será progressivo. O parque planeou receber um máximo de 24.000 pessoas por dia para já, em vez das 80.000 que costuma receber. É também obrigatório fazer a reserva antecipadamente pela internet.

Dentro do parque, os anúncios nos megafones lembram os clientes da necessidade de manter a distância nas filas das atrações.

Apesar do receio, as entradas para este primeiro dia de abertura esgotaram em poucos minutos na sexta-feira, quando foram abertas as vendas na internet, informou a imprensa local.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.