Foto: Bernard Gagnon/wikipedia

Cinco anos após a sua destruição, o antigo Templo de Bel em Palmira, na Síria, foi reconstruído digitalmente pelo Digital Media Lab (DML) da Biblioteca da UC San Diego usando métodos 3D de ponta e aplicações de inteligência artificial (IA).

Inspirado por uma colaboração anterior entre a Biblioteca e o Laboratório de Arqueologia Levantina da UC San Diego, este projeto resultou na preservação digital de mais de uma dúzia de artefactos perdidos, esculturas, frescos e pinturas, todos disponibilizados publicamente no site das Coleções Digitais da Biblioteca.

Destruído em 2015 durante a guerra civil na Síria, o Templo de Bel foi considerado o templo mais importante de todo o Médio Oriente (juntamente com Baalbek do Líbano) e serviu como um dos exemplos mais bem preservados de arte e arquitetura antigas, atraindo mais de 150.000 turistas anualmente.

Através do uso de mais de 3.000 fotografias digitais disponíveis ao público, tiradas ao longo de uma década, a Biblioteca recriou com sucesso a estrutura usando a Pointcloud, uma plataforma de visualização online.

As fotografias digitais usadas para criar a renderização virtual do Templo de Bel foram obtidas de repositórios de acesso livre, como o projeto #NEWPALMYRA, a Sociedade Romana, a Universidade de Oxford e muitos turistas individuais, que permitem aos utilizadores explorar interativamente um enorme complexo do templo.

Além disso, aplicações de inteligência artificial foram usadas para isolar as características importantes do templo de outros elementos que podem ter aparecido nas imagens, como turistas ou condições climáticas.

Para ver a recriação digital do Templo de Bel pela Biblioteca da UC San Diego, visite esta página de internet.

Templo de Bel, Síria
Templo de Bel, Síria créditos: Bernard Gagnon/wikipedia

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.