Os recentes sismos que têm abalado Itália preocupam os especialistas em arte, uma vez que o país guarda algumas das maiores obras-primas da arte mundial. David de Michelangelo, escultura em mármore de 5,17 metros de altura, está no centro das preocupações.

Com os recentes sismos que assolaram o centro de Itália em 2016, a preocupação é que também o norte do país possa ser atingido por terramotos, pondo em causa a conservação, já abalada, da escultura. "A proteção contra sismos do David de Michelangelo tornou-se urgente", declarou ao The Times o geocientista Alessandro Martelli.

Desde 2014, a escultura do artista do Renascimento, que pesa 5,5 toneladas, tem sido alvo de estudos, por contar com fragilidades na base, mais precisamente nos tornozelos, que podem levar a sua destruição. Antes da preocupação com sismos, já se alertava para a realização de obras perto do museu ou mesmo as vibrações causadas pelos passos dos visitantes - fatores que poderiam provocar a desmoronamento da obra.

O arquiteto Fernando De Simone propôs à câmara municipal da cidade de Florença que seja construído um museu à prova de sismos para abrigar o David de Michelangelo, além de outras obras-primas de Florença, "antes que seja tarde demais", indica um artigo da Condé Nast Traveler.

David tem os dias contados?

Sete razões para amar Florença
Sete razões para amar Florença
Ver artigo

A proposta está em análise, bem como várias outras para que Florença possa proteger da melhor forma os seus diversos edifícios e monumentos importantes, como é o caso da Duomo. Os resultados destes estudos devem ser conhecidos em novembro deste ano.

Ainda assim, para outros especialistas, vai ser difícil conseguir conservar por muito mais tempo a escultura que retrata o herói bíblico através de um ideal de beleza masculina. A fraca qualidade do mármore utilizado por Michelangelo, quando foi esculpida entre 1501 e 1504, bem como uma má distribuição do enorme peso da escultura, que esteve durante três séculos exposta ao ar livre, poderão levar a danos irreparáveis em breve.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.