Chuvas torrenciais inundaram, na quarta-feira, grande parte da região metropolitana de Miami, no sudeste dos Estados Unidos, deixando dezenas de veículos encalhados nas ruas e obrigando ao encerramento de escolas e do aeroporto de Fort Lauderdale pelo menos até à manhã desta sexta-feira.

Os temporais deixaram mais de 635 mm de água em 24 horas nessa cidade de 180 mil habitantes a norte de Miami, de acordo com um relatório preliminar do serviço meteorológico americano. O número supera o recorde de 370 mm nesta localidade, que remonta a abril de 1979.

As chuvas provocaram muitos engarrafamentos e inundaram os acessos ao aeroporto, deixando dezenas de pessoas isoladas e provocando vários cancelamentos.

As autoridades esperavam retomar o tráfego aéreo na quinta-feira, mas tiveram de adiar a reabertura para sexta, para poder retirar água e resíduos das pistas.

"Isto é uma estupidez", disse ao jornal Sun Sentinel Rob Gourley, um turista que não pôde voar com a sua esposa para Nassau, nas Bahamas, devido ao temporal em Fort Lauderdale.

"É a primeira vez que viajamos em cinco anos depois da covid e tudo mais", afirmou o morador de Sarasota, no oeste da Flórida. "Estamos prontos para voltar para casa e esquecer tudo".

Horas depois de declarar o estado de emergência, o município de Fort Lauderdale pediu paciência aos habitantes, enquanto equipas locais limpavam as várias estradas fechadas.

O serviço meteorológico americano mantém em vigor um alerta para possíveis inundações na costa da região metropolitana de Miami, já que o solo está encharcado e novas chuvas estavam previstas para quinta-feira.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.